O tabelamento dos fretes foi um dos requisitos do pacote aprovado, resultado do entendimento com a categoria para o fim da greve.

Lei que define normas para a cobrança de frete ao transporte rodoviário, negociada entre governo e caminhoneiros, não isentou o pagamento de multas.

Conhecida como MP do frete, foi convertida em lei pelo presidente Michel Temer, mas teve veto à anistia para as sanções aplicadas durante as paralisações, entre 21 de maio e 4 de junho.

O governo justificou a manutenção da cobrança por representar comprometimento das receitas públicas. Além disso, foram punições impostas pela Justiça e em função do poder de polícia do Estado.

O tabelamento dos fretes foi um dos requisitos do pacote aprovado, resultado do entendimento com a categoria para o fim da greve.


Aviso: Os comentários só podem ser feitos via Facebook e são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, sendo passível de retirada, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here