Medida acordada entre o governo e caminhoneiros ainda precisa passar por Câmara e Senado.

Uma comissão mista do Congresso Nacional, formada por senadores e deputados, aprovou nesta quarta-feira (8) a medida provisória que concedeu uma subvenção econômica na comercialização de óleo diesel. A subvenção é de até R$ 0,30 por litro de diesel.

A subvenção tem objetivo de garantir o desconto de R$ 0,46 no litro do combustível. O incentivo será concedido até 31 de dezembro de 2018 para cobrir parte dos custos das distribuidoras.

Outros R$ 0,16 que completam o valor total do desconto são alcançados com a redução da carga tributária de PIS, Cofins e Cide sobre o diesel.

A redução de R$ 0,46 no valor do litro do diesel nas refinarias faz parte do acordo fechado pelo governo do presidente Michel Temer com caminhoneiros grevistas para encerrar a paralisação que durou 11 dias entre maio e junho.

A medida ainda precisa ser votada pelos plenários da Câmara e do Senado. Por se tratar de uma medida provisória, o texto tem força de lei desde que foi publicado no “Diário Oficial da União”. Mas precisa ser aprovado no Congresso dentro de um prazo de 120 dias. Caso contrário, perderá a validade.

A subvenção é limitada ao valor total de R$ 9,5 bilhões. A concessão será até 31 de dezembro de 2018. O relator da MP, deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP), disse que chegou a analisar a extensão desse prazo por um período de dois ou três meses. Mas optou por manter o prazo original proposto pelo governo.

“O que nos motivou a pensar em alterar o prazo: 31 de dezembro termina um governo, começa um outro governo e o governo começa já tendo que enfrentar esta situação de fato em que a subvenção deixa de existir. Então nos pareceu adequado que nós tivéssemos uma transição e alguns meses poderiam dar tempo ao novo governo pra que ele pensasse em uma alternativa: ou se manteria a subvenção, propusesse algo que depois teria que ser trazido também ao Congresso”, explicou o deputado.

Segundo Arnaldo Jardim, a subvenção custa, em média, R$ 1,4 bilhão por mês. A extensão do prazo representaria um custo adicional ao já previsto.

“Eu busquei identificar uma possibilidade de termos ou um recurso adicional agora ou de nós termos isso aprovado e ter um compromisso de que, depois, o orçamento viabilizasse esse recurso. Mas o recurso adicional agora não há e um recurso posterior no orçamento ele ficaria descasado no tempo. Conclusão: não daria e nós optamos por não fazer. Então tá mantida a subvenção até 31 de dezembro”, justificou Arnaldo Jardim.

Custo das medidas

O subsídio de R$ 0,30 no preço do litro do diesel desde que a medida foi anunciada em maio, com validade até o fim deste ano, custará R$ 9,58 bilhões aos cofres públicos. Esses valores foram contabilizados no orçamento geral da União deste ano.

Subsídio é o desembolso de dinheiro que o governo faz para financiar um benefício para determinado setor. Pode estar contabilizado no orçamento ou não. Neste último caso, afeta apenas a dívida pública, elevando-a.

Além disso, outros R$ 4 bilhões, que não configuram subsídios propriamente ditos, estão sendo compensados com a redução de outros benefícios e cortes de gastos públicos. Foram reduzidos benefícios para exportadores, para a indústria química e para “concentrados” de refrigerantes, e também cancelados gastos públicos para compensar esse valor.


Aviso: Os comentários só podem ser feitos via Facebook e são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, sendo passível de retirada, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here