Foram analisados 212 voluntários.

Os boletos chegam todo mês e a angústia causada pela preocupação com uma forma de paga-los pode estar afetando a saúde cardíaca de milhares de pessoas em todo o mundo. Agora, parece que as dívidas podem ser a causa de do aumento nos riscos de infarto.

Um estudo orientado pelo professor Denishan Govender, da Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo, na África do Sul, revelou algo que de certa forma já sabíamos. A preocupação com dívidas, pode aumentar em até 13 vezes a chance de a pessoa ter um ataque cardíaco.

Foram analisados 212 voluntários, sendo que metade já havia sofrido de ataque cardíaco e a outra jamais teve esse problema. Os participantes completaram um questionário sobre emoções que haviam vivenciado no mês anterior à pesquisa.

Quase metade dos pacientes (40%) que tiveram um ataque cardíaco relatou sofrer estresse intenso no mês anterior. Pessoas que tiveram algum nível de depressão, por sua vez, apresentaram um risco três vezes maior de infarto. Isso quando comparado com aqueles sem sintomas de depressão. Quando o estresse estava relacionado ao trabalho, foi possível verificar um aumento de 5,6 vezes no risco de infarto comparando com quem estava mais calmo.

O autor explicou que os aspectos psicossociais são fatores de risco importantes para o infarto agudo do miocárdio. “Muitas pessoas são aconselhadas sobre o estresse depois de um ataque, mas a ênfase deve acontecer antes”, explicou.

HYPENESS  ARTIGO: SOCIEDADE EUROPEIA DE CARDIOLOGIA

Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here