Quem se recorda dele servindo de modelo para o futuro quadro era o então menino Goffredo Telles Júnior (1915-2009)

A composição “Bananal”, do pintor Laser Segall (1891-1957), teve por base um estudo detalhado, a lápis-carvão, que ele fez de um senhor negro e idoso, chamado Olegário, que fora escravo Da fazenda surgida em 1831.

Quem se recorda dele servindo de modelo para o futuro quadro era o então menino Goffredo Telles Júnior (1915-2009), que passava os dias nesta fazenda de seus avós junto com o grupo de modernistas da Semana de 22 que aí frequentava durante a década de 1920.

Lasar Segall

“Lasar Segall, por exemplo, me fascinava. (…) Ele tinha um modo de olhar para as coisas do mundo como não vi em mais ninguém. Olhos muito abertos, infinitamente curiosos, numa fisionomia de extrema doçura… Extasiei-me ao vê-lo em plena criação, no terraço da fazenda, retratando, a carvão, na tela do seu cavalete, a cabeça do velho Olegário, antigo escravo de meus bisavós. Nenhum de nós podia imaginar que ali se estava produzindo o primeiro esbolo do famoso quadro Bananal.”

Fonte: Wenilton Daltro – Pesquisador e Historiador 

+ CLIQUE AQUI E VEJA OUTRAS NOTÍCIAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here