Mais de 40% dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil, o Fies, estão com mensalidades atrasadas.

Os dados apurados até março deste ano apontam que dos mais de 600 mil benefícios em fase de amortização, quase 250 mil estavam em atraso, segundo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

O financiamento é concedido aos estudantes do ensino superior em instituições privadas, pago após o término da graduação.

Sem a quitação das parcelas, a amortização fica comprometida. No ano passado, o número de contratos em atraso chegou a quase 33% do total concedido.

Para conter a inadimplência, o governo criou a modalidade P-Fies e aumentou a taxa de juros. Também redefiniu a concessão do financiamento, com preferência para estudantes com menor renda familiar.

As últimas mudanças anunciadas na semana passada incluem o aumento do teto para parcelamento por semestre, de R$ 30 mil para 43 MIL 983 reais.

As parcelas mensais saltam de 6 mil para pouco mais de 7 mil reais.


Aviso: Os comentários só podem ser feitos via Facebook e são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, sendo passível de retirada, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Conforme a Lei 9.610/98, é proibida a reprodução total e parcial deste texto sem a autorização prévia e expressa do autor (artigo 29). ® Todos os direitos reservados ao site REPÓRTER BETO RIBEIRO

Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here