PUBLICIDADE

ūüĆą 1¬ļ F√≥rum LGBT+ re√ļne dezenas de pessoas para debater o tema em Araras, SP

Maria Eduarda Negretto, uma ativista do movimento LGBT+, integrou a mesa e inclui suas experiências e dificuldades desde que se acordou como mulher nos anos 90.

No √ļltimo s√°bado, dia 23 de setembro, a C√Ęmara Municipal de Araras (SP) sediou o 1¬ļ F√≥rum LGBT+ de Araras, com o tema “Queremos pol√≠ticas p√ļblicas e isso n√£o √© privil√©gio”. O evento contou com a presen√ßa de diversas pessoas engajadas em debater esse tema crucial.

A sauda√ß√£o inicial foi conduzida pela presidente da C√Ęmara de Araras, Miriam Vanessa, que parabenizou o coletivo pela organiza√ß√£o e se colocou √† disposi√ß√£o para futuros debates semelhantes.

Maria Eduarda Negretto, uma ativista do movimento LGBT+, integrou a mesa e inclui suas experiências e dificuldades desde que se identificou como mulher nos anos 90. Ela também falou sobre um episódio em que foi levada para a delegacia por se vestir de acordo com sua identidade de gênero.

O deputado estadual Guilherme Cortez discutiu os esforços empreendidos no estado de São Paulo para garantir os direitos da população LGBT+. Ele destacou que seu mandato funciona como um canal para denunciar casos de homofobia e transfobia que ocorrem em várias cidades do estado. O deputado comentou a preocupação com discursos que alimentam o ódio e a violência contra a população LGBT+.

O advogado ativista Paulo Iotti argumentou que discursos como o da vereadora representam crimes de homofobia e defendeu a perda de mandato nesses casos. Ele relembrou sua atua√ß√£o no Supremo Tribunal Federal (STF) para equiparar o crime de homofobia ao crime de racismo. Paulo tamb√©m abordou uma discuss√£o na C√Ęmara Federal sobre o casamento homoafetivo, enfatizando a import√Ęncia de manter os direitos j√° conquistados pela comunidade LGBT+.

O evento teve uma dura√ß√£o de mais de 3 horas, durante as quais v√°rias pessoas puderam contribuir com perguntas, sugest√Ķes e reclama√ß√Ķes sobre a falta de pol√≠ticas p√ļblicas para a popula√ß√£o LGBT+ em Araras. Maria Eduarda ressaltou a car√™ncia de pol√≠ticas p√ļblicas nas √°reas de seguran√ßa, sa√ļde e educa√ß√£o do munic√≠pio. O deputado tamb√©m instruiu o coletivo a cobrar do executivo a implementa√ß√£o do Conselho Municipal LGBT, do Centro de Refer√™ncia LGBT e da coordenadoria municipal existente, que n√£o est√° ativo.

Por fim, a organização do coletivo criou um documento que será enviado às autoridades municipais e estaduais, fazendo a criação do Conselho Municipal LGBT e examinando a possibilidade de realizar a Parada do Orgulho LGBTQIAPN no mês de novembro deste ano.

Artigos Relacionados

√Ēnibus do transporte p√ļblico municipal quebra e causa transtornos aos passageiros na regi√£o leste de Araras, SP

Alguns passageiros relataram ter chegado atrasados em seus compromissos, como no trabalho e na escola.Um...
Parceria M√©dica da KR Sa√ļde: Uma Rede Dedicada ao Bem-Estar e Cuidado

Assist√™ncia m√©dica de alto n√≠vel a pre√ßos acess√≠veis √© na KR Sa√ļde

Uma empresa que oferece uma alternativa inovadora no mercado de assistência médica, com foco em...

Arteris Intervias realiza interdição de acesso da Rodovia Anhanguera para instalação do Portal Turístico em Araras, SP

O trecho estar√° devidamente sinalizado e os usu√°rios devem seguir as orienta√ß√Ķes para uma viagem...

Últimas Notícias