Testagem para Covid-19 segue até sexta-feira na Praça Barão de Araras, SP

Testes são para pessoas a partir dos seis anos até a idade não contemplada com a vacina e que nunca testaram positivo para a doença.

A Secretaria Municipal da Saúde informa que a testagem para a Covid-19 (Sars-CoV-2) segue até a sexta-feira (6), na Praça Barão de Araras (SP). A ação é destinada a pessoas a partir dos seis anos e até a idade não contemplada com a vacina contra o vírus e que nunca testaram positivo para a doença.

Com parceria da FHO/Uniararas, a testagem tem início a  partir das 10h até às 15h30. “Por meio da análise dos dados, nós poderemos entender melhor a dinâmica da transmissibilidade dos vírus, fazer um perfil dos indivíduos contaminados e identificar o público mais vulnerável e com maior risco de infecção”, explicou a enfermeira do NAES (Núcleo de Apoio em Educação e Saúde), Erika Alves de Freitas.

Como funciona o teste?

A Secretaria da Saúde realiza a aplicação de testes rápidos, que têm o objetivo de identificar a presença de anticorpos no sangue dos pacientes, que são produzidos pelo sistema imunológico após o contato com a Covid. A testagem tem como principal objetivo o levantamento epidemiológico da doença.

As positivações para IgM e IgG estão relacionadas ao momento em que os anticorpos são produzidos. Anticorpos IgM são os que aparecem primeiro, sendo relacionados a infecções recentes. Muitas vezes, sua presença sinaliza que o paciente está na primeira fase da doença, ou seja, ainda possui o vírus.

Já os anticorpos IgG são produzidos posteriormente. Eles indicam que a infecção se deu há algum tempo. Quando o teste apresenta resultado negativo, significa que o paciente ainda não teve contato com o Sars-CoV-2.

“A aplicação dos testes rápidos não visa somente à busca de pacientes em fase ativa da doença, ou seja, em fase de transmissão, mas também a realização de um levantamento epidemiológico, rastreando pessoas que tiveram a doença e não apresentaram sintomas, por exemplo, permitindo a análise do comportamento do vírus ao longo do tempo, nos oferecendo dados para planejar, executar e avaliar as ações de saúde em diferentes regiões e grupos etários”, completou a  enfermeira.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT