“A gente vai morrer”, disse jovem em vídeo antes de acidente fatal

Outros dois ocupantes do veículo, incluindo o motorista, ficaram feridos e o condutor pode ser indiciado por triplo homicídio culposo.

“A gente vai morrer”. A estudante de veterinária Emmily Miranda, de 20 anos, gravou um vídeo dentro de um veículo com quatro amigos, brincando, em Niterói, no Rio de Janeiro. Momentos depois, o carro em que o grupo estava se acidentou, provocando a morte de Emmily e outros dois jovens.

Outros dois ocupantes do veículo, incluindo o motorista, ficaram feridos e o condutor pode ser indiciado por triplo homicídio culposo — quando não há intenção de matar. O acidente ocorreu no dia 8, às 23h30, na Estrada Francisco da Cruz Nunes, em Niterói, cidade da região metropolitana do Rio, enquanto o grupo voltava de um restaurante.

Nas imagens gravadas dentro do carro é possível ver os cinco jovens cantando e dançando. O motorista foi flagrado dirigindo sem as mãos no volante. A velocidade do carro ultrapassou 100 km/h — momento em que a Emmily diz que todos iriam morrer.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a corporação foi acionada para uma colisão entre um carro e uma moto, seguida de capotagem. Além de Emmily, Gabriel Gonçalves, de 19 anos, e Roberta da Costa Miranda Ribeiro, 17, morreram no local.

O motorista foi identificado como Leonardo Moraes da Silva Pagani, de 20 anos. Ele foi socorrido em estado grave e encaminhado para o Hospital Estadual Azevedo Lima. O amigo dele, Raphael Guerreiro, de 18 anos, também ficou ferido no acidente e deu entrada na mesma unidade com ferimentos leves.

Em depoimento à Polícia Civil do Rio, uma testemunha confirmou que o motorista ingeriu bebida alcoólica antes de dirigir. No hospital, o médico responsável pelo atendimento da vítima, declarou que Leonardo apresentava hálito etílico e agitação psicomotora.

O delegado Fábio Barucke confirmou que Leonardo poderá ser indiciado por triplo homicídio culposo. “Mas ainda avalio a possibilidade de homicídio doloso por assumir o risco do resultado, em razão de ter bebido e tirado as mãos do volante do carro em alta velocidade”, afirmou.

Raphael já foi ouvido pela polícia e Leonardo é aguardado amanhã na delegacia para prestar depoimento.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT