Abraços ajudam as mulheres a enfrentar o estresse, diz estudo

PUBLICIDADE

Nos homens, no entanto, a pesquisa não descobriu o mesmo efeito.

Você tem um grande teste, uma conversa difícil ou um dia estressante pela frente — quanta diferença um abraço de seu parceiro pode fazer em seu estado de espírito? Um abraço pode fazer uma grande diferença para as mulheres, de acordo com um novo estudo. Infelizmente, o efeito não é tão poderoso quando se trata de homens.

Pesquisadores analisaram como 76 pessoas responderam ao estresse após um abraço do parceiro (a) em um estudo publicado na revista PLOS One. As mulheres que abraçaram seus parceiros mostraram uma diminuição na produção de cortisol — hormônio do estresse — em comparação com aquelas que não o fizeram.

O cortisol pode ter um impacto na recuperação da memória, o que pode tornar a tarefa estressante ainda mais difícil, disse o autor sênior do estudo Julian Packheiser, pesquisador de pós-doutorado do Instituto Holandês de Neurociência.

Os homens não parecem ter o mesmo privilégio, de acordo com a pequisa. O estudo teve uma amostra pequena, mas é feito com habilidade e contribui para um corpo sólido de ciência, disse Kory Floyd, professor de comunicação da Universidade do Arizona. Floyd não estava envolvido no estudo.

Não é surpresa que o toque ajude na regulação do corpo, disse Packheiser. A afeição por alguém que você ama libera um neurotransmissor chamado oxitocina, muitas vezes chamado de “hormônio do amor”, que reduz os níveis de cortisol. Essa resposta, combinada com apoio social, protege contra o estresse, de acordo com o estudo.

E outras pesquisas analisaram os benefícios do contato mais longo, como uma massagem, nas respostas ao estresse físico do sistema endócrino, que regula a liberação de hormônios, e do sistema nervoso simpático, que impulsiona a resposta rápida de “luta ou fuga” do corpo a situações estressantes.

Mas este achado oferece evidências científicas de uma opção mais imediatamente gratificante. Uma massagem nem sempre é viável. “Um abraço, por outro lado, é aplicado rapidamente e, portanto, pode ajudar a proteger contra futuros fatore estresantes”, escreveu Floyd em um e-mail.

PUBLICIDADE

Agora que algumas das restrições da pandemia foram suspensas em grande parte do mundo, é útil saber que temos outra ferramenta pronta para ajudar na defesa contra os estressores do mundo, acrescentou.

Por que os homens não veem a mesma diminuição do cortisol? É difícil dizer, reconheceram os pesquisadores. Pode ser um fator social, onde muitos dos homens podem não se sentir tão bem com os abraços porque são socialmente percebidos como incomuns ou estranhos para os homens, disse Packheiser. Também pode ter a ver com a diferença nos receptores de toque na biologia de homens e mulheres, acrescentou.

A diferença de resultado foi inesperada e não é necessariamente a palavra final sobre o assunto, disse ele. “Só porque não encontramos o efeito nos homens, (não significa) que não esteja lá”, escreveu Packheiser em um e-mail. “O efeito poderia simplesmente ser menor e não foi detectado.”

Protegendo com carinho

“Um conselho simples seria abraçar seu parceiro, parentes ou amigos se você souber que eles passarão por situações estressantes em breve”, disse Packheiser. Se eles quiserem o abraço, é claro.

Este estudo mais recente se baseia no conhecimento que já existia no campo, apontando como o afeto protetor de um ente querido é contra os efeitos negativos do estresse no corpo, disse Floyd.

Outro estudo em 2018 mostrou que abraços após um conflito ou evento negativo ajudaram as pessoas a se sentirem melhor. E um bom contato físico é conhecido por acalmar o sistema nervoso, disse Lisa Damour, psicóloga clínica de Ohio especializada no desenvolvimento de adolescentes. Mas o afeto não é um tamanho único.

“É importante lembrar que há variação individual na forma como as pessoas respondem ao abraço”, disse Floyd. “Para alguns, um abraço é uma expressão bem-vinda de calor que pode aliviar o estresse, reduzir a dor e promover a intimidade. Para outros, abraçar parece invasivo ou não natural e pode até elevar o estresse, em vez de aliviá-lo.”

Os parceiros românticos geralmente têm uma boa noção de como seus entes queridos se sentem em relação ao afeto físico, mas os melhores abraços são aqueles oferecidos com os sentimentos do destinatário em mente, disse Damour.

Certifique-se de verificar o que seu parceiro precisa, em vez de assumir que eles precisam de um abraço.

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP