Ação policial que frustrou tentativa de roubo na bilheteria da FACIA completa 24 anos em Araras, SP

O que espantou os policiais e os profissionais da imprensa que estiveram fazendo a cobertura do fato, foi o poderio bélico dos marginais.

Década de 90, mais precisamente no dia 19/08/1996. Acontecia a festa da FACIA – Feira Agro-Industrial de Araras (SP), e um grupo criminoso fortemente armado se preparava para roubar a bilheteria da festa.

clique na imagem e saiba mais

Na época o investigador Ricardo Corrêa que atuava na DIG – Delegacia de Investigações Gerais – de Limeira (SP), e de posse de informação privilegiada, instantes antes da perpetração do crime, repassou tal informe ao então tenente Érico Hammer Schmidt Júnior, que comandava a 2ª Cia da Polícia Militar da cidade, o qual, juntamente com seus valorosos policiais militares, com apoio da Guarda Civil Municipal, obtiveram êxito na prisão dos meliantes, juntamente com farto material bélico, inclusive três fuzis de assalto, armas pouco comum para a época!

Essa quadrilha era formada por integrantes da família Oliveira, que dois anos após esse fato, em 1.998, sequestraram o irmão do Zezé Di Camargo e Luciano, em Goiânia (GO). O que espantou os policiais e os profissionais da imprensa que estiveram fazendo a cobertura do fato, foi o poderio bélico dos marginais, lembrando que apreensão desse tipo de armamento naquela época (1996), era incomum. Na foto abaixo vemos, da esquerda para a direita, um fuzil Fal, CAL 762, um fuzil colt M16, CAL 556, um fuzil mini Ruger, CAL 556, uma escopeta pump action, CAL 12, duas pistolas CAL 9 mm,um revólver CAL 38, varios carregadores das armas, além de farta munição.

“A junção de esforços leva a resultados significativos. A inteligência policial, a prevenção e a repressão aliadas, propiciam a queda da criminalidade, beneficiando a Comunidade como um todo! Pena que alguns gestores de segurança, ainda querem os méritos individualmente. Juntos (PC + PM + GCM), somos mais fortes”, destacou Ricardo, em conversa com a nossa reportagem.

Vale o registro, já que nesta quarta-feira (19), o caso completa 24 anos. Foi um fato marcante na cidade, embora não possa ser comemorado, senão pela atuação policial.