Acidentes de trabalho: motociclistas estão entre as principais vítimas

São Paulo é o estado que registrou maior número de mortes em acidentes com motos, com 464 registros.

Motociclistas são os que mais morrem em acidentes de transporte relacionados ao trabalho. É o que aponta um levantamento do Ministério da Saúde. As mortes em acidentes com motos representam 21,2% (3.296 registros) dos 15.511 acidentes de trabalho fatais registrados entre os anos de 2011 e 2020. Os números são do Sistemas de Informação de Agravo e Notificações (Sinan).

São Paulo é o estado que registrou maior número de mortes desses profissionais, com 464 acidentes fatais envolvendo motos, seguido do Paraná (431) e Santa Catarina (400). Esses acidentes levam em consideração o trabalhador que tem uma função que exige locomoção ou quando estava indo ou voltando do local de trabalho.

Os caminhoneiros também estão entre as principais vítimas fatais – nesse caso, o número de mortes é considerado o maior entre as dez principais ocupações profissionais. No entanto, segundo o levantamento, quando considerado o veículo de transporte no momento do acidente, o registro de óbitos é maior naqueles envolvendo motos.

ACIDENTES FATAIS

No Brasil, o estudo mostrou que Minas Gerais é o estado com maior número de acidentes de trabalho de transporte fatais, com 2.230 casos registrados nos últimos dez anos. O maior número de mortes foi relacionado acidentes envolvendo carros (612), seguido de veículos pesados (459) e outros transportes terrestres (380).

Os estados de São Paulo (2.205) e Paraná (1.836) estão na lista com maior número de acidentes de trabalho fatais de transporte.

REDUÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO

Acidentes de transporte relacionados ao trabalho no Brasil tiveram uma redução de 34,52% em 2020 em relação ao ano anterior. Este é o menor número de acidentes de transporte relacionados ao trabalho desde 2012. Os dados são dos Sistemas de Informação de Agravo e Notificações (Sinan), do Ministério da Saúde.

No ano passado foram registrados 13.153 acidentes de trabalho por transporte, sendo que em 2019 foram 20.087 casos. A queda pode ser relacionada as mudanças nas características do trabalho do brasileiro durante a pandemia da Covid-19.

O Ministério da Saúde  desenvolve de ações de prevenção acidentes de trabalho e promoção da saúde do trabalhador, realizando o monitoramento dos indicadores e vigilância de ambientes e processos de trabalho para reduzir a ocorrência desses eventos e subsidiar ações mais adequadas para esse público.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT