Acusado de matar ex a facadas em frente a bar é condenado a 30 anos de prisão em Santa Bárbara d’Oeste, SP

Ajudante não aceitava o fim de relacionamento com Géssica Monique de Oliveira, que tinha 25 anos, segundo a acusação. Defesa vai recorrer para buscar reduzir pena.

A Justiça de Santa Bárbara d’Oeste (SP) condenou a 30 anos de prisão um homem acusado de matar a ex-companheira a facadas, em 30 de junho de 2018. A defesa informou que vai recorrer para buscar reduzir a pena.

O crime ocorreu por volta das 23h, em frente a um bar localizado no cruzamento das ruas Espanha e Bulgária, no bairro Dona Regina. Segundo a acusação, o ajudante Fabio Orozimbo de Toledo, de 36 anos, não aceitava o fim do relacionamento entre ele e a vítima, Géssica Monique de Oliveira, que tinha 25 anos.

clique na imagem e saiba mais

De acordo com relato da Polícia Militar à época, Géssica foi ao bar com o irmão em uma noite de sábado. O ex-companheiro a encontrou no local e começou uma discussão. Durante a briga, ele pegou uma faca que tinha levado, acertou o pescoço da vítima e fugiu, informou a polícia.

Géssica foi socorrida pela Guarda Civil Municipal para o Pronto-socorro Dr. Édson Mano, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada de domingo. Toledo foi detido no bairro Praia Azul, em Americana (SP), e admitiu o crime na ocasião, também segundo a PM.

A corporação informou, ainda, que a vítima tinha duas medidas protetivas contra o homem, que não podia se aproximar dela e já tinha tentado sequestrar a filha dos dois, em 2016. Em outro caso, teria ameaçado a ex de morte por um aplicativo de mensagens.

Condenação

O Conselho de Sentença apontou prática de homicídio triplamente qualificado pelo motivo torpe, do recurso que dificultou a defesa da vítima, e de feminicídio.

“As circunstâncias do crime denotam a frieza, premeditação e intensidade do dolo do acusado durante a ação delitiva; já vinha há tempos perseguindo a vítima, conforme relatou o irmão Matheus, tanto que evitavam deixá-la sozinha, e ela já ostentava uma cicatriz de facada na região do peito, por conta de ataques anteriores”, relata a juíza Camilla Marcela Ferrari Arcaro na sentença.

“O réu provocou a morte precoce de uma jovem de 25 anos, saudável, mãe de sua própria filha, de apenas dois anos de idade quando dos fatos, e na frente do irmão adolescente, os quais carregarão este trauma para o resto de sua vida”, acrescenta a magistrada.

O réu não poderá apelar em liberdade.

O que diz a defesa

Advogado de Toledo, Daniel José Heleno afirmou que o acusado tinha ciência de que seria difícil não ser condenado, mas que vai recorrer para buscar reduzir a pena.

“Desde o início, ele disse que não tinha feito isso, que não tinha desferido essa facada. Então, nossa defesa foi na negativa de autoria dele, tentando encaixar essa negativa com as provas que foram produzidas no processo”, explicou.

Ele aponta que buscou explorar divergências em depoimentos, o fato de que a arma do crime não foi localizada e o fato da roupa que Toledo vestia horas depois do crime não ter manchas de sangue.

“A gente trabalhou em cima disso, mas a própria vítima, quando foi socorrida ainda estava viva, e ela disse ao policial que a socorreu e a levou ao hospital que quem havia desferido o golpe de faca havia sido o ex-marido. Então, ficou muito difícil. Ele entendeu que a condenação não tinha como se excluir, mas a gente se manifestou no sentido de elaborar o recurso para ver se a gente consegue mitigar essa pena”.