Adeus, insônia! Veja como alimentação influencia na qualidade do sono

Nutricionista Matheus Motta recomenda dieta com alimentos que ajudam na produção de serotonina e favorecem a recuperação do organismo.

Dados da Associação Brasileira do Sono (ABSono) indicam que mais de 70 milhões de brasileiros sofrem com insônia. Um distúrbio que, para algumas pessoas, pode parecer algo sem importância e fácil de resolver. Mas, que se for ignorado ou minimizado, pode trazer graves consequências para o bem-estar e a saúde.

“Muitas pessoas estão relatando problemas para dormir devido à ansiedade e ao estresse. Dormir pouco pode causar um aumento da pressão arterial, da frequência cardíaca e do hormônio do estresse, o cortisol, ainda mais em um quadro de insônia, que se caracteriza por diversas noites mal dormidas”, comenta o nutricionista Matheus Motta.

Existem até mesmo algumas pessoas que acreditam que o seu organismo já se acostumou a dormir poucas horas. No entanto, isso pode ser um sinal perigoso. “Desregulações como a insônia indicam que há algo errado. Dormir pouco pode prejudicar concentração, criatividade, humor, capacidade de resolver problemas e até potencializar sentimentos de depressão, ansiedade, entre outros”, exemplifica o nutricionista.

A recomendação de Matheus, no que diz respeito à alimentação e o sono, é evitar dietas com grandes restrições calóricas. Principalmente aquelas que prometem um emagrecimento acelerado. “Quando você come menos do que deveria, não demora muito para que os efeitos físicos e psicológicos da restrição apareçam, como a insônia. A perda rápida de alguns quilos não pode ser mais importante do que a sua saúde mental e física”, reforça.

Leia também:

O que comer para acabar com a insônia

Além disso, o especialista ainda nos revelou quais são os alimentos que podem contribuir para uma boa noite de sono. Confira:

  • Fontes de triptofano, aminoácido que ajuda o corpo a produzir serotonina, hormônio capaz de regular o humor e a qualidade do sono (leite e iogurtes desnatados, queijo branco, banana e nozes);
  • Alimentos ricos em vitaminas do complexo B, que favorece o processo de recuperação do organismo e é importante para regular os padrões de humor e o sono (atum, espinafre, lentilha, cenoura e arroz integral);
  • Ingredientes com boa concentração de ácido fólico, que é essencial para a manutenção das células cerebrais (folhas verdes escuras, couve e brócolis).

O que não ingerir para conseguir dormir bem

“É importante controlar o consumo de álcool e evitá-lo perto da hora de dormir. Bebidas alcoólicas, assim como alimentos estimulantes – como chocolate, café, guaraná, mate e chá preto, além dos refrigerantes – podem prejudicar o sono e agravar quadros de insônia. Recomendamos a ingestão de bebidas quentes à noite, que são boas aliadas no processo de relaxamento”, finaliza Matheus.

Fonte:Sport Life

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP