Adolescentes são espancados após serem acusados de roubar óculos no litoral de SP

Apesar de acusações, nenhum item ilícito foi encontrado com os dois menores de idade.

Dois adolescentes, de 15 e 16 anos, foram espancados por pelo menos cinco turistas nesta segunda-feira (12) sob acusação de terem roubado um óculos do grupo em Praia Grande, no litoral de São Paulo. A Guarda Civil Municipal foi acionada para separar a confusão e não encontrou nenhum objeto roubado com a dupla.

O caso aconteceu no início da madrugada desta segunda, por volta de 1h, na avenida Castelo Branco, no bairro Ocian. Segundo registrado no boletim de ocorrência, os guardas civis foram acionados para atender a ocorrência de duas pessoas sendo agredidas na rua por populares.

clique na imagem e saiba mais

No local, eles encontraram os dois adolescentes sendo agredidos pela população. As autoridades separaram a confusão e um dos agressores, morador de São Paulo, afirmou que um dos menores de idade teria furtado seus óculos.

O homem e os dois adolescentes foram conduzidos à Delegacia de Polícia de Praia Grande, onde foi registrado boletim de ocorrência por ato infracional equivalente à furto. No entanto, segundo o registro da ocorrência, nenhum item ilícito foi apreendido com os dois.

Caso dfoi registrado na Delegacia Sede de Praia Grande, SP. — Foto: Andressa Barboza/G1

Espancamento

De acordo com o adolescente Kayky Ferreira Lira Silva, 15 anos, ele estava sentado com um amigo na avenida da praia quando percebeu três veículos passando pelo trecho por mais de uma vez. Por volta de 00h, os carros voltaram, parando em volta da dupla.

Cerca de cinco pessoas saíram dos carros e passaram a gritar com os adolescentes, chamando-os de ladrões. Em seguida, conseguiram segurá-los e, de acordo com o relato de Kayky, passaram a espancar os dois.

A mãe do adolescente, a socorrista Adriana Ferreira Lira, de 38 anos, afirmou que foi avisada por um parente que o filho estava sendo espancado. Ela correu até o local, que fica a cerca de uma quadra da residência da família, mas não conseguiu encontrar os meninos, que já estavam sendo atendidos na Unidade de Pronto Atendimento Quietude.

Segundo ela relata, o filho conseguiu chamar a atenção de uma viatura da Guarda Civil Municipal que passava pela avenida, gritando por socorro. “Deram dois mata-leão no meu filho, quase mataram ele tentando bancar o papel de herói”, diz a mãe.

Além dos óculos, o grupo acusou o adolescente de ter roubado um celular que estava com ele, mas ele provou às autoridades que o aparelho era de sua mãe, desbloqueando a tela com senha. Sobre o furto, os dois garantem que nenhum crime foi cometido, enquanto a mãe acusa a guarda de defender as pessoas que espancaram os dois. “Quase mataram meu filho e a GCM não fez nada, defende as pessoas da praia e não os moradores”, disse.

A Prefeitura de Praia Grande informou que a uma viatura da Guarda Civil Municipal (GCM) foi abordada neste domingo, enquanto passava pela avenida Castelo Branco, na altura da rua Monteiro Lobato, no Bairro Ocian, com a denúncia de furto de um óculos nas proximidades do calçadão.

Imediatamente, segundo a nota, os guardas prestaram apoio às vítimas e conduziram os acusados para a Delegacia sede da Cidade, onde foi realizado boletim de ocorrência e os suspeitos ficaram à disposição da Justiça. (Com informações do portal G1 Santos)