Ajude a salvar a vida da pequena Mari

No próximo fim de semana, o Hemocentro da UNICAMP estará em Araras (SP) para coleta de Doação de Sangue e CADASTRO DE MEDULA ÓSSEA.

A Mari é moradora de Campinas (SP), a garotinha a esquerda junto com a Bia na foto acima, e está precisando muito da nossa ajuda. Em 2017 ela iniciou o tratamento para Leucemia, mas em agosto, após dois meses de término, teve recaída da doença e agora a única alternativa é o transplante de medula óssea.

No próximo fim de semana, o Hemocentro da UNICAMP estará em Araras (SP) para coleta de Doação de Sangue e CADASTRO DE MEDULA ÓSSEA. É muito difícil encontrar um doador 100% compatível, por isso, a importância de muitas pessoas se cadastrarem. Vamos salvar a Mari e outras pessoas que também estão à espera de uma medula compatível. A doação de medula óssea é simples para quem doa e é a vida para quem recebe.

clique na imagem e saiba mais

Compareça e faça seu cadastro! Faça também sua doação de sangue, será no dia 03/10/2020 (próximo sábado) – das 9 às 12 horas na ETEC Prefeito Alberto Feres, localizada na Avenida Senador Lacerda de Vergueiro, 690 – Jd. Cândida.

Como é Feita a Doação

A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação de 24 horas. A medula é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções. O procedimento leva em torno de 90 minutos.

A medula óssea do doador se recompõe em apenas 15 dias. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples.

Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana após a doação. Há outro método de doação chamado coleta por aférese. Neste caso, o doador faz uso de uma medicação por cinco dias com o objetivo de aumentar o número de células-tronco (células mais importantes para o transplante de medula óssea) circulantes no seu sangue. Após esse período, a pessoa faz a doação por meio de uma máquina de aférese, que colhe o sangue da veia do doador, separa as células-tronco e devolve os elementos do sangue que não são necessários para o paciente. Não há necessidade de internação nem de anestesia, sendo todos os procedimentos feitos pela veia.

A decisão sobre o método de doação mais adequado é exclusiva dos médicos assistentes, tanto do paciente quanto do doador, e será avaliada em cada caso. Mais informações podem ser obtidas através do site: http://redome.inca.gov.br/www.redome.inca.gov.br