Além dos casos de dengue, teremos alta de Zika e chikungunya, alerta virologista

Em entrevista à CNN Rádio, Gúbio Soares afirmou que, entre os motivos, estão o “abandono dos métodos de controle” do Aedes aegypti em meio à Covid-19.

A alta de 85,6% entre janeiro e o início de abril nos casos de dengue em comparação ao ano passado se dá devido à pandemia de Covid-19, de acordo com o virologista da UFBA, Gúbio Soares.

Em entrevista à CNN Rádio, ele explicou que “os governos direcionaram todo o seu pessoal para trabalhar contra esse vírus, vacinação, toda a campanha, treinamento das pessoas e os demais vírus ficaram em segundo plano.”

Além disso, segundo Gúbio, a população também se voltou para a Covid e “foram abandonados todos os métodos de controle dos mosquitos, vieram as chuvas intensas do Brasil, em Minas Gerais e Rio de Janeiro e o calor, com muita água e muita chuva, os ovos depositados começaram a eclodir e aumentou a quantidade de mosquitos Aedes aegypti”.

O mosquito é o responsável pela transmissão da dengue, chikungunya e Zika. “Sem o controle da população e da Vigilância Sanitária, eles se proliferaram, e vieram as infecções por dengue e virá também por chikungunya e Zika”, alertou.

Para reverter o quadro, o virologista reforça que deverá haver incentivo para as campanhas de controle de água parada, para que as pessoas cubram seus tanques de água. “Precisamos voltar as campanhas de rádio e TV orientando as pessoas para controlar essas águas porque o mosquito está voltando com tudo, são dois anos sem campanha e controles ficaram muito parados. Os mosquitos voltaram a se multiplicar intensamente”, disse.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP