Alunos da Univesp auxiliam empresa de cosméticos a aprimorar linha de produção

Projeto Integrador do polo de Bragança Paulista sugere utilização de software; grupo incorporo conceitos da indústria 4.0 à ação.

Os estudantes de Engenharia de Produção da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp) Andrea Santana, Daniele Freitas de Jesus, Everton Cubero, Indianara Concari, Paulo Henrique Bertolini e Willian dos Santos apresentaram, no primeiro semestre do ano, o Projeto Integrador (PI) “Gestão da Cadeia de Suprimentos no Contexto da Globalização 4.0: sistemas e estratégias para novas oportunidades de mercado”.

O trabalho, mediado por Fabiana Savani, teve como objetivo contribuir com a produtividade de uma empresa de cosméticos localizada no município de Diadema, na Região Metropolitana de São Paulo.

clique na imagem e saiba mais

Análise

Após pesquisas com representantes da companhia, a equipe identificou imperfeições nos processos da máquina envasadora de bisnagas, responsável pela automatização de envase de cremes e pomadas, recém-adquirida pelo estabelecimento para acelerar as linhas de produção.

No relatório final do PI, o grupo afirma que o equipamento precisa da programação manual de um funcionário para ser inicializada, o que pode resultar em falhas nos processos de fabricação.

“As etapas do trabalho que envolvem um operador são passíveis de erro humano. Identificamos ainda a falta de conexão total entre máquinas e equipes, o nível de eficiência e produtividade atingidas abaixo da média esperada e o alto número de refugo com uma perda de produto acima do que a empresa considera aceitável”, revela o documento.

De acordo com os alunos, a companhia entende que os aperfeiçoamentos na produção não serão obtidos somente com aquisição e implantação de novas tecnologias disponíveis no mercado. Existe a necessidade de encontrar um equilíbrio entre equipe e maquinário para tornar-se mais competitiva e para manter, ou ampliar, a participação em vendas e distribuição.

Software

Para auxiliar a empresa, os discentes sugeriram o uso da ferramenta FlexSim. “O software é um poderoso simulador para aplicações, manufatura, logística e atendimento. Com ele, podemos modelar um layout e parametrizar máquinas e pessoas, além de conseguirmos analisar os resultados obtidos e implantar melhorias, otimizando todo o processo”, explicou o aluno Willian dos Santos no vídeo de apresentação do PI.

Ainda no vídeo, o estudante Paulo Henrique Bertolini salienta que as simulações e testes estatísticos feitos com o software apontam um avanço significativo nos processos de envase de bisnagas da empresa tanto na produtividade quanto na eficiência do equipamento.

“As melhorias recomendadas incluem desde o setup da máquina, até o acompanhamento da selagem das bisnagas e o controle de limpeza do equipamento, item essencial, já que o produto depende muito da aparência final para ir às gôndolas de vendas”, afirmou o futuro engenheiro.