Amigo de caminhoneiro morto em tragédia com 41 mortos lembra ônibus na contramão: ‘Não deu tempo de nada’

Passageiro Danilo José Oliveira Camargo estava no caminhão com Geison Gonçalves, de 22 anos; acidente com ônibus deixou mais de 40 pessoas mortas.

O passageiro do caminhão que sobreviveu após se envolver em um acidente com um ônibus, em Taguaí, na região de Avaré (SP), afirmou que não deu tempo de evitar a colisão no quilômetro 172 da rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, nesta quarta-feira (25). Mais de 40 pessoas morreram após a batida, entre elas o caminhoneiro Geison Gonçalves.

Danilo José Oliveira Camargo, que sofreu ferimentos leves, contou que descarregaram carga em Taquarituba na noite anterior e seguiu com Geison para Castro (PR), quando foram surpreendidos pelo ônibus na contramão da via realizando ultrapassagem.

clique na imagem e saiba mais

A pista é de mão única e ultrapassagens são feitas na contramão em pontos específicos onde não há faixa continua. No local da batida, a ultrapassagem é proibida.

“Estávamos carregando em Taquarituba e, depois, dormimos. Saímos cedo e, depois de rodado cinco minutos após sair do posto, estávamos em uma curva, na nossa mão, quando o ônibus começou a ultrapassar. Meu amigo falou só ‘o ônibus’ e já batemos. Não deu tempo de nada. Meu amigo chegou a tirar o caminhão, mas não conseguiu e pegamos em cheio”, relatou

Ainda segundo Danilo, o acidente foi chocante. “Eu fico triste pelo meu amigo e pelas famílias do ônibus. Muito triste. Só fico contente por não ter acontecido nada comigo”, diz.

O caminhoneiro Geison não tinha habilitação para dirigir caminhão, segundo informou a companheira. Segundo ela, o companheiro não era habilitado para categoria D, tinha apenas habilitação provisória para carro e, por isso, levava outro caminhoneiro junto nas viagens. “Ontem, foi nossa última conversa à noite, quando ele me disse que tinha parado para dormir, que hoje acordaria cedo para viajar”, lembra.

Quando o corpo foi liberado, Geison será velado no distrito Abapã, no Paraná, na associação de moradores, segundo a companheira. “Está sendo um momento muito difícil. Era um jovem trabalhador, era cheio de planos. Passamos o final de semana juntos, me contou dos seus planos para o futuro”, lamentou.

O acidente aconteceu em um trecho de curva da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, que é pista simples. A rodovia SP-249 não tem pedágios. Segundo a Polícia Militar Rodoviária de Itapeva, não são comuns acidentes no trecho da rodovia onde foi registrada a batida.

A causa do acidente é investigada. A suspeita da polícia é que uma ultrapassagem teria provocado a colisão. O Governo de São Paulo informou que montou uma força-tarefa para identificar e liberar os corpos das vítimas (veja a nota abaixo).

O Coordenador da Defesa Civil do Estado, Coronel Walter Nyakas Júnior, e os Secretários de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, e de Saúde, Jean Gorinchteyn, foram até o local para coordenar os resgates, visitar os hospitais onde estão as vítimas e agilizar a liberação dos corpos.

O Governo também convocou a população para doação de sangue no hemocentro de Botucatu para ajudar ao atendimento médico dos feridos. (Com informações de Carlos Henrique Dias, G1 Itapetininga e região)