Ampliar gratuidade a usuários do Bom Prato na capital paulista é objetivo de ação civil pública

Iniciativa é de Promotoria de Justiça e da Defensoria.

Fazer com que o município e o Estado de São Paulo aprimorem o benefício de gratuidade a usuários dos restaurantes populares Bom Prato é o objetivo de uma ação ajuizada nesta terça-feira (26/10) pela Promotoria de Justiça de Direitos Humanos e pela Defensoria Pública.
 
No pedido de liminar, a promotora Anna Trotta Yaryd e a defensora pública Fernanda Penteado Balera requerem que a administração municipal seja obrigado a adotar todas as providências necessárias para garantir a boa gestão do convênio que prevê o uso de 8 mil cartões/gratuidade a usuários cadastrados, de forma a garantir a máxima eficiência na utilização do benefício.
 
A ação pede ainda a comprovação de alocação de recursos municipais visando à implantação, em 2022, de novas unidades do Restaurante Bom Prato na capital, em financiamento conjunto com o governo do Estado, ou de outra política adequada que garanta, no mínimo, o atendimento da demanda de mais 5.195 refeições diárias, reconhecida pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania.
 
(Com in formações do Núcleo de Comunicação Social do Ministério Público do Estado de São Paulo)

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT