Após discussão por causa de marmita, mulher é esganada e agredida a chutes pelo namorado

Filha da vítima tentou separar a briga, mas também foi agredida pelo autor. Duas armas foram apreendidas e o homem liberado.

Uma briga por conta de uma marmita terminou com uma mulher agredida pelo namorado e a apreensão de duas armas de fogo na noite deste sábado (30), em Presidente Prudente (SP). O homem foi detido pela Polícia Militar e liberado pela Polícia Civil. A violência doméstica foi registrada no Jardim Itapura, na casa da vítima.

Conforme a polícia, a mulher contou que seu namorado chegou em sua residência depois de ter sido convidado por ela para jantar. O homem estava embriagado e discutindo por conta de uma marmita que estavam procurando para comprar e não efetuaram a compra, conforme a vítima.

Durante a discussão, a mulher disse à polícia que seu namorado se exaltou ainda mais e passou a agredi-la, esganando seu pescoço e desferindo palavras de baixo calão. Nesse momento, a filha da vítima entrou no meio da briga para separar o casal, mas também foi agredida pelo homem.

clique na imagem e saiba mais

Ao ver todo o ocorrido, o marido da filha da vítima também passou a participar da briga, separando as partes. Em seguida, o autor se voltou para a mulher e lhe deu uma rasteira, que fez com que ela caísse. A vítima conseguiu levantar e foi novamente agredida com outra rasteira e chutes.

Logo em seguida, o homem notou que a filha da vítima estava anotando as placas de seu veículo, momento em que foi embora ameaçando todos que ficaram na residência da vítima.

Posteriormente, a mulher acionou a polícia e contou que o namorado, um dia anterior, quando estava na casa dele, havia mostrado a ela uma arma que era herança de família e por conta disso tinha medo de que ele voltasse para sua residência armado para agredi-la novamente. A mulher ainda alegou que tinha informações de que o homem já estava na casa dele, no Jardim Glória Maria.

Uma equipe da Polícia Militar foi até o local e em contato com a mãe, ela informou que o filho havia chegado na casa dizendo que tinha brigado com a namorada e nada mais. O envolvido disse sua versão à polícia e a mãe confirmou que realmente haviam armas em sua casa e que eram herança de seu esposo falecido.

Durante vistoria na casa, a polícia localizou sobre o guarda-roupas do homem uma espingarda engatilhada, mas sem munições. Um revólver de calibre 38 foi encontrado no quarto da mãe do envolvido. A arma estava embrulhada em meio a panos com 20 munições intactas e quatro deflagradas, divididas em duas sacolas.

Diante do ocorrido, foi dada voz de prisão ao homem pelos crimes de violência doméstica e posse de arma de fogo. O homem foi levado à Delegacia Participativa da Polícia Civil, onde a autoridade de plantão tomou ciência dos fatos e elaborou boletins de ocorrência, liberando as partes posteriormente.

ÁGIL DPVAT