Assassino que enterrou garoto em SP quebrou tornozeleira antes de cometer o crime, diz polícia

Garoto de 14 anos foi encontrado enterrado no quintal da casa do criminoso. Segundo a polícia, ele ainda não foi localizado.

O indivíduo que matou e enterrou o garoto Iury Júnior Pereira, de 14 anos, em São Vicente, no litoral de São Paulo, é considerado foragido no estado de Goiás e teria destruído tornozeleira para fugir. A informação foi divulgada pela Polícia Civil, nesta quinta-feira (1º). O adolescente estava desaparecido há três dias, quando foi encontrado pela irmã no quintal de uma residência, após a jovem reconhecer o chinelo da vítima. Segundo as autoridades, o autor ainda não foi localizado e preso.

As informações foram confirmadas pela 3ª Delegacia de Homicídios da Deic de Santos, responsável pela investigação do crime. O assassino foi identificado como Guilherme Alexandre Tavares Borges, conhecido como ‘Goiás’, de 22 anos, e é o dono da residência, localizada no bairro Gleba, onde o corpo do adolescente foi encontrado e desenterrado pela irmã.

clique na imagem e saiba mais

De acordo com a polícia, Guilherme é procurado por roubos no estado de Goiás, por isso o apelido. Ele estava em liberdade provisória e fazia uso de tornozeleira eletrônica, no entanto, teria destruído o acessório de segurança e fugido para São Paulo, há cerca de três meses. As autoridades conseguiram identificá-lo por meio de testemunhas, que fizeram o reconhecimento fotográfico do homem.

A Polícia Civil trabalha para localizá-lo, e pede para que informações que auxiliem a encontrar o paradeiro do suspeito sejam informadas pelo Disque Denúncia 181.

Corpo do adolescente foi encontrado no quintal de uma casa em São Vicente, SP — Foto: Arquivo Pessoal

Entenda o caso

Iury Júnior Pereira estava desaparecido desde a última quarta-feira (23). Valquíria Inacio Pereira, mãe de Iury, registrou boletim de ocorrência de desaparecimento na manhã de sábado (26). No registro, ela diz que o filho não tinha envolvimento com drogas, não fazia uso de remédio controlado e não costumava passar a noite fora de casa.

Valquíria disse que ele saiu para andar de bicicleta e não retornou, e que procurou o filho na casa de familiares e amigos, sem obter retorno. Nas redes sociais, ela colocou fotos dele pedindo ajuda para encontrá-lo. Após a mobilização, a família ouviu relatos de que ele foi visto pela última vez com o morador novo do bairro, que havia se mudado há cerca de dois meses.

A irmã encontrou o autor em frente à casa dele, que permitiu a entrada na residência. Ingrid encontrou um chinelo que Iury usava e, após os moradores pressionarem o indivíduo, ele disse que a vítima estava no quintal da casa. A irmã foi até o local, onde localizou o corpo do adolescente, parcialmente enterrado. Além do corpo, os policiais encontraram uma grande quantidade de cordas e manchas de sangue em uma das paredes.

Os policiais informaram que, chegando ao local, o homem não se encontrava. No interior da casa, os móveis estavam depredados e quebrados. A equipe procurou vizinhos do mesmo, que não souberam informar sua identidade, já que o conheciam apenas por um apelido. Eles alegaram que o homem mora no bairro há cerca de dois meses.

“Esse homem veio para o bairro há pouco tempo, não sabíamos como eles se conheciam. Meu filho tinha 14 anos e era meu caçula”, afirmou Valquíria Inacio Pereira, que pediu justiça pelo adolescente.

“Quero que a polícia ache quem fez isso com meu filho. Ele era uma criança, inteligente, nunca repetiu de ano. Na terça, falou que entrou no concurso para ganhar bolsa para treinar e entrar para a polícia. Eu fiquei muito feliz, pensando no futuro dele”, completou Valquíria.

Corpo foi encontrado parcialmente enterrado na casa do criminoso — Foto: G1 Santos