Aulas nas redes estadual e particular só retornam em 2021 em Araras, SP

Decreto semelhante já tinha sido publicado pela Prefeitura no início deste mês com relação às aulas nas escolas da rede municipal; decisão foi tomada em comum acordo entre gestores da área da educação e profissionais da saúde.

A Prefeitura Municipal de Araras (SP) publica nesta sexta-feira (25) o decreto municipal que dispõe sobre a permanência da suspensão das aulas presenciais nas redes estadual e particular de ensino até o final deste ano. Com isso, as atividades presenciais seguem interrompidas até o dia 31 de dezembro de 2020 – ficam mantidas apenas as ações envolvendo educação remota.
Decreto semelhante já tinha sido publicado pela Prefeitura no início deste mês com relação às aulas nas escolas da rede municipal, que, pelo documento, também serão retomadas somente em 2021.

“Conversamos muito com representantes das escolas estaduais e das escolas particulares, e chegamos à conclusão em consenso de que essas escolas também não devem retornar com as aulas presenciais neste ano. O momento ainda é de precaução e prevenção. Afinal, a pandemia ainda não acabou”, comentou o prefeito Junior Franco.

clique na imagem e saiba mais

A decisão foi tomada em comum acordo entre o Conselho Municipal de Educação de Araras e gestores de unidades estaduais, particulares e municipais da cidade, que vinham se reunindo com representantes da Secretaria Municipal de Educação, desde o mês passado, para definir os rumos do ensino na cidade diante da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), causador da covid-19.

O debate envolveu também profissionais da área da saúde, incluindo, principalmente, os setores de Vigilância Epidemiológica e Vigilância Sanitária, e integrantes do Comitê Governamental de Crise da Covid-19. A recomendação desses profissionais para que as aulas não fossem retomadas neste ano também balizou os dois decretos do Executivo Municipal – o do dia 4 de setembro, destinado à rede municipal de educação, e o desta sexta-feira (25), que envolve as aulas nas demais escolas públicas e particulares da cidade.

“Não podemos permitir que as aulas sejam retomadas sem que haja total segurança para os nossos alunos frequentarem as escolas. Ouvimos pais, professores, profissionais da área da saúde e decidimos em conjunto que, neste momento, o melhor seria preservar a saúde de crianças e adolescentes mantendo a suspensão das atividades presenciais até o final do ano”, explicou o secretário de educação, Bruno Roza.

Ele reforça que isso não significa que o ano letivo está perdido. “Nossos professores estão trabalhando ainda mais e as aulas continuam acontecendo de forma on-line. Na rede municipal, há, inclusive, entrega de atividades impressas para alunos com dificuldade de acesso à internet”, acrescentou.

Já as universidades da cidade que mantêm cursos na área de saúde podem oferecer aulas práticas e laboratoriais, o que já vem acontecendo em algumas, por estarem amparadas em legislação estadual que se sobrepõe às decisões municipais. O mesmo acontece com alguns cursos da Fatec e do Senai e atividades práticas e laboratoriais de instituições de ensino superior.