Bicicletas viraram alternativa para negócios durante a pandemia

Para fugir de aglomerações e ainda ser um meio para praticar atividades, as bikes se tornaram uma solução para muita gente e impulsionam o setor de serviços.

As vendas de bicicletas cresceram 50% em 2020 em plena pandemia de coronavírus. Fugindo de aglomerações e sem local para atividades físicas, as bikes se tornaram uma solução para muita gente.

Hermes dos Santos Junior, dono de uma loja e oficina em São Paulo, confirma a alta na procura por produtos e serviços. Antes da pandemia, na oficina, eram no máximo 15 manutenções por mês. Agora são mais de 30, uma por dia. “A maioria que trouxe veio de bikes que estavam paradas e trouxeram para arrumar para voltar a andar né. Então teve muita gente que já tinha bike, já pedalava pouco e começou usar mais a bike na pandemia”, explica Hermes.

As oficinas de bike como a do Hermes são consideradas serviço essencial no Estado de São Paulo. Têm autorização para funcionar mesmo com as restrições, só é preciso manter as portas abaixadas: um novo desafio para empresa.

Mas, no ano passado, mesmo com essa restrição, ele conseguiu um salto no faturamento. A venda de acessórios para motociclistas disparou.

Ciclismo ajuda na saúde

Christopher Tavares está com 19 quilos a menos, desde que voltou a andar de bike. Em março do ano passado, quando as academias e lojas fecharam, ele resolveu retomar o exercício. “Com tudo parado, menos carro na rua, tava com excesso de peso, resolvi me movimentar dentro da própria cidade”, conta Christopher.

Para ter sua nova bicicleta, ele comprou todas as peças e acessórios pela internet e montou o veículo. “Na verdade triplicou [a venda de acessórios]. Ela teve uma venda muito grande principalmente em acessórios de segurança né, que seria luzinhas, luva, capacete também aumentou muito venda”, explica o empresário Hermes.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT