BioNTech buscará aprovar aplicação da vacina em crianças de 5 a 11 anos

Farmacêutica, que desenvolveu imunizante com a Pfizer, diz que os estudos estão prontos para serem publicados e submetidos às agências reguladoras.

A farmacêutica BioNTech está preparada para solicitar em todo o mundo a autorização para usar sua vacina contra a Covid-19 em crianças de até cinco anos, e os preparativos para o lançamento estão no caminho certo, disseram os dois principais executivos da empresa de biotecnologia ao jornal alemão “Der Spiegel”.

“Já nas próximas semanas, iremos protocolar os resultados de nosso estudo em crianças de 5 a 11 anos junto aos órgãos reguladores em todo o mundo e solicitaremos a aprovação da vacina nesta faixa etária também aqui na Europa”, disse diretor médico Oezlem Tuereci.

As declarações confiantes ressaltam a liderança que a BioNTech, que fez a vacina em parceria com a Pfizer, detém na corrida para ganhar ampla aprovação na vacinação de vacinar crianças menores de 12 anos em países ocidentais.

A BioNTech disse que esperava apresentar seu dossiê regulamentar sobre as crianças de 5 a 11 anos em setembro. A empresa também elaborou planos para buscar aprovação em crianças de 6 meses a 2 anos mais tarde este ano.

Tuereci também disse ao jornal que as etapas finais de produção estavam sendo ajustadas para envasar uma versão pediátrica em dose mais baixa da vacina. Atualmente, ela é aprovada para adultos e jovens de pelo menos 12 anos de idade.

Os dados brutos dos ensaios estavam agora sendo preparados para um registro regulamentar e “as coisas parecem ir bem, tudo está indo de acordo com o planejado”, disse o chefe executivo Ugur Sahin ao “Der Spiegel”.

A Moderna disse na quinta-feira (09) que um ensaio que testa sua vacina em crianças entre 6 e 11 anos estava agora totalmente pronto e que estava trabalhando na melhor dosagem em outro estudo envolvendo bebês de até seis meses de idade.

A China está na frente na redução do limite de idade em sua campanha de imunização. As autoridades sanitárias do país aprovaram em junho o uso emergencial da vacina Sinovac em crianças de até três anos de idade.

O Chile, que dependeu muito da vacina Sinovac, aprovou este mês o uso da vacina em crianças acima de 6 anos de idade. O Ministério da Saúde de Israel disse em julho que crianças de até cinco anos de idade podem tomar a vacina da Pfizer-BioNTech se sofrerem de condições que as tornem particularmente vulneráveis à Covid-19.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT