Black Friday: O que fazer antes de começar as compras?

Um método eficiente de observar as temporadas de compras são as coleções do setor de vestuário.

A Black Friday é um dos eventos mais esperados mundialmente no calendário comercial, marcado pelas múltiplas liquidações em lojas físicas e virtuais. Eles, usualmente, acontecem uma ou duas vezes no ano, ao final de uma temporada.

Um método eficiente de observar as temporadas de compras são as coleções do setor de vestuário. São, em geral, duas: o lançamento de outono-inverno, compreendendo seis meses e primavera-verão, abarcando outros seis.

Este modelo de seleção dos estoques é seguido por muitos outros segmentos do varejo, tornando o Black Friday uma prática presente no meio e final do ano. Com todo o frenesi que envolve o evento, é fácil descuidar de algumas medidas de segurança.

Uma liquidação deste nível é caracterizada pela queima de estoque restante, a partir da redução drástica dos preços de cada produto, com descontos que podem até passar dos 50%. O objetivo é esvaziar prateleiras em um mesmo dia.

Por essa razão, a Black Friday exibe lotações em lojas físicas, além de complicações no acesso a sites de compra devido ao intenso fluxo de acessos. Seja no comércio local ou virtual, problemas de todo tipo podem destruir as expectativas de compra do consumidor.

Neste artigo, o leitor será apresentado a dicas, ponto a ponto, sobre o que fazer para realizar compras inteligentes durante esse período, aproveitando ao máximo as oportunidades deste conjunto de promoções geradas em automação empresarial.

Preparando-se para a Black Friday

As preparações para a Black Friday podem começar meses antes do evento.

O primeiro ponto a ser observado é o orçamento para as compras, além dos objetos que se pretende comprar. A ideia é treinar o olho para encontrar ofertas reais e desviar-se de fraudes.

É importante considerar que episódios de liquidação devem ser incluídos no planejamento financeiro doméstico, como modo de coibir o gasto específico durante promoções, um comportamento desencadeado pela menor percepção de risco.

O termo “Black Friday” pode ser definido como “sexta-feira negra”, e sua famosa posição ao final do ano abre a fase comercial para as festas de fim de ano. O planejamento para o evento deve prever as seguintes condições:

Segmento comercial

Apesar de ser um evento com ampla aderência, a Black Friday nem sempre está disponível para todas as categorias. Determinados setores e lojas podem ficar de fora em algumas edições ou retirar-se completamente da liquidação.

A maneira como os segmentos aplicam seus descontos também variam de acordo com o tipo de produto. Setores do vestuário, cama, mesa, banho e itens de papelaria, como agenda personalizada com nome, apresentam os descontos mais proeminentes.

Alimentação e eletrodomésticos, por outro lado, mantêm-se de maneira consistente nas últimas posições em termos de queda de preços. No primeiro caso, a influência diária de variações econômicas é uma das causas. No segundo, o alto valor agregado.

Isso justifica a necessidade de pesquisa de preços com base no segmento comercial. Registrar o valor médio do produto que deseja adquirir auxilia na comparação com os anúncios de Black Friday, calculando o desconto real.

Orçamento disponível

Um plano anual de gastos é o básico para a saúde das contas domésticas. Definir um limite máximo de recursos, incluindo todos os custos necessários para sobrevivência, incluindo uma margem para lazer e gastos adicionais, deve inserir aspirações para a Black Friday.

A compra de uma bolsa transversal feminina esportiva entra na margem de gastos não-prioritários, que não devem ser desprezados em termos de importância.

Tais despesas, no entanto, podem ser abatidas pela busca de promoção neste tipo de evento. Uma das principais tentações de compra é o gatilho de urgência disparado nos casos de promoções por tempo limitado.

A sensação de perder uma oportunidade valiosa pode suplantar a avaliação da importância da compra em questão. A genuína ideia por trás da Black Friday é oferecer ao consumidor uma chance de comprar itens que já estava em sua lista de desejos, a um preço mais acessível.

Por isso, o evento deve ser usado para comprar aquilo que já se pretendia, dentro do orçamento.

Dicas valiosas para ir às compras

Aplicar os dois conceitos elucidados acima na rotina prática de organização das compras em Black Friday pode ser um desafio. A quantidade de opções e fornecedores, além dos descontos oferecidos pode converter-se em uma armadilha.

Por esse motivo, a antecipação do evento em placas de sinalização é essencial. Em uma série de dicas simples, o consumidor pode estar habilitado para usufruir o que há de melhor nesse evento.

Avalie um grupo restrito de opções

A depender do produto procurado, o alto número de opções de lojas e fornecedores pode ser um empecilho durante a pesquisa de preço. Uma ideia contraintuitiva, mas visualizável quando se considera o fenômeno de excesso de informação.

Todo o processo decisório humano é marcado pela filtragem de alternativas. Desde ações inconscientes do dia até a escolha da próxima música em uma playlist, o excesso de dados pode reduzir a velocidade da decisão, além de aumentar os riscos de ineficiência.

O consumidor da Black Friday deve ter “avaliação” como palavra de ordem, presente durante a pesquisa de preços, a procedência do estabelecimento, seus processos de logística, os canais de contato, endereços físicos entre outros.

Para facilitar essa atividade, é recomendado restringir o número de estabelecimentos a serem visitados durante o evento. Desta forma, tanto os produtos quanto a empresa responsável podem ser avaliados com tranquilidade e eficácia.

Observe o histórico de valores

Quanto à pesquisa de preços, a parte mais importante dela é o histórico de valores. Muitos estabelecimentos recorrem à prática de dobrar o preço de um produto nas semanas anteriores ao evento para posteriormente, anunciar um desconto falso.

A melhor prevenção contra esse tipo de golpe é conhecer o valor do item desejado no decorrer do ano. Em geral, os preços da maior parte das mercadorias do comércio para pessoa física, como brindes para clientes, sofrem poucas variações.

A busca por um histórico de valores é útil também na avaliação da procedência das lojas visitadas. Uma empresa que possui o hábito de aumentar preços antes da Black Friday pode ser considerada não-confiável pelo consumidor.

O histórico de valores pode ajudar o cliente a compreender como determinado produto ou mesmo um inteiro setor se comporta, um conhecimento valioso não apenas para a Black Friday, como para toda operação de compra do ano.

Nesta pesquisa, os critérios que mais influenciam a precificação de um projeto de fachada comercial, por exemplo, as peças que compõem um produto ou serviço, os custos com impostos ou insumo são postos sob perspectiva.

Faça uma lista de compras

A lista de compras é um recurso comumente usado para limitar a quantidade de dinheiro gasto nesses eventos. Uma prática simples, rápida e gratuita, a lista de compras é muito eficiente na preparação para as compras em Black Friday.

Além de permitir a projeção de orçamento, a lista de compras ajuda o indivíduo a pôr seus desejos de consumo sob um olhar minucioso, racional, comparando benefícios e custos. Nesse processo, é possível encontrar marcas ou mesmo itens novos.

Uma fachada de loja pode oferecer muitas promessas para o consumidor. A compra é, muitas vezes, um episódio emocional, onde o cliente atrela necessidades de cunho social e existencial na mercadoria que deseja adquirir.

Se aplicar na criação de uma lista de itens pode despertar questionamentos de todo tipo, que auxilia a pessoa a comprar com mais qualidade e consciência:

  • Qual é a finalidade do produto?
  • Ele possui as especificações de seu agrado?
  • Os benefícios da aquisição são maiores que os custos?
  • O desconto é significativo?
  • Existem opções melhores?

 

Portanto, para além da preferência pelo mais barato, a lista de compras estimula uma análise completa de seus hábitos, com consequências sobre a saúde financeira do seio familiar, bem como a qualidade de vida de todos os seus integrantes.

Prefira fornecedores confiáveis

A Black Friday, infelizmente, também é palco de muitos golpes. O evento se torna uma oportunidade para pessoas mal intencionadas por reunir um grande número de pessoas com poder de compra, isto é, com dinheiro disponível.

Os golpes variam entre os roubos comuns e os crimes cibernéticos, com destaque para os sites falsos e ofertas fantasiosas. Estratégias de phishing para violação de dados financeiros é outra prática muito comum nesse período. Por isso, todo cuidado é pouco.

 Prefira fornecedores confiáveis, sites onde já está habituado a consumir, estabelecimentos com boas práticas promocionais em totem sinalização. Conferir endereços de sites é outra medida de prevenção.

Conclusão

Portanto, a Black Friday é um dos eventos comerciais mais esperados do ano, engajando milhares de consumidores ávidos pelas melhores oportunidades de preços. Para os empreendedores, é uma chance de divulgar o negócio e renovar o estoque.

Preparar-se para as compras neste período é essencial para garantir a qualidade do que é adquirido e o lucro real da operação, livrar-se de golpes e prevenir o estresse causado pelo mau planejamento e por surpresas indesejáveis.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT