Bolsa-Família tem 350 mil cadastros irregulares

As irregularidades foram descobertas por auditoria da Controladoria-geral da União.

Programa Bolsa-Família, criado em 2003 para amenizar as condições de extrema pobreza no Brasil tem fraude em cerca de 350 mil cadastros.

Foram pagos mais de R$ 1 bilhão para pessoas que não têm direito ao benefício, por exemplo, quem tem bom padrão de vida, com casa própria e carro de luxo. Tem também funcionários públicos beneficiados indevidamente.

As irregularidades foram descobertas por auditoria da Controladoria-geral da União. Segundo o secretário federal de controle interno da CGU, Antonio Carlos Leonel, os cadastros indevidos serão cancelados.

Entre os casos mais destacados, está a cidade de Piancó, na Paraíba, onde quase 54% dos moradores recebiam Bolsa-Família. Depois da auditoria, quase a metade perdeu o benefício, entre eles, servidores da prefeitura e da câmara de vereadores.

De acordo com o governo, desde outubro do ano passado até agora, foram suspensos 4 milhões 700 mil pagamentos.

O Ministério do Desenvolvimento Social apontou 3 MIL e 200 famílias que serão convocadas a devolver os valores.

Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT