No que se refere ao desvio de recursos públicos, o País está entre os três últimos do ranking.

O brasileiro é quem menos confia em sua classe de políticos, entre 137 países avaliados pelo mundo. A constatação faz parte do ranking de competitividade, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial.

Em 2008, o Brasil era o 122º colocado entre 134 economias examinadas. Em 2013, o País ocupava a 136ª posição nos critérios que mediam a confiança pública nos políticos, de um total de 148 países avaliados. Em 2017, o Brasil é o último colocado.

No Brasil, a Fundação Dom Cabral (FDC) é responsável pela pesquisa de opinião realizada junto à comunidade empresarial. Para chegar a esse resultado, a entidade ouviu 103 executivos no período entre março e maio de 2017. Pelo mundo, parceiros do Fórum coletaram um total de 15 mil entrevistas sobre as mais de cem economias.