Cão fica em estado grave após comer calcinhas jogadas em praia no litoral de SP

Bahuan estava passeando na orla da praia de Itararé, em São Vicente, quando ingeriu a peça íntima.

O cachorro Bahuan, de 11 anos, está internado em estado grave desde a última quinta-feira (5). O animal comeu duas calcinhas que estavam jogadas na orla da praia de Itararé, em São Vicente, no litoral de São Paulo. “Estou quase perdendo um filho por conta da imprudência das pessoas”, desabafa a advogada e tutora, Amanda Elia Garcia.

O cãozinho estava passeando com Amanda e a mãe na orla da praia, no dia 1 de novembro, quando encontrou as peças íntimas atiradas na grama. “Ele estava preso na coleira e foi questão de segundos. Não vi o que ele tinha na boca, puxei pela coleira e no susto ele acabou engolindo”, conta.

De acordo com Amanda, ela achou que o animal tinha comido algum alimento que estava no chão, pois a grama estava alta e ela não conseguiu visualizar a vestimenta. Aos poucos, Bahuan começou a vomitar, perder o apetite, ter dificuldades de evacuar e não conseguia fazer xixi. Porém, até então, ela não imaginava o motivo.

clique na imagem e saiba mais

“A veterinária dele foi até a nossa casa aplicar medicação nos primeiros dias, mas ele só piorava. Quatro dias depois o Bahuan não conseguia levantar, então levamos até o hospital e solicitaram um ultrassom”, explica.

De acordo com ela, os veterinários imaginavam que era um pedaço de plástico de, no máximo, 5 cm. Ele foi operado na mesma hora para a retirada do corpo estranho, mas ninguém esperava duas calcinhas dentro dele. “Todo mundo ficou espantado”, ressalta.

Segundo a tutora, o animal fez a cirurgia de emergência na quinta-feira (5) e ficou internado até terça-feira (10), quando teve alta. Porém, na quarta (11), Bahuan começou a vomitar diversas vezes e foi internado novamente. “Ele está instável e com uma inflamação no intestino. O veterinário disse que ele tem chances de não sobreviver, isso me preocupa muito”.

“Hoje é o Bahuan, mas amanhã pode ser outro animal. Existem tantas campanhas de conscientização para não jogar lixo na rua e as pessoas continuam. Meu companheiro pode morrer por conta da imprudência de alguns, isso dói”, desabafa.

A família está realizando uma arrecadação para continuar com o tratamento do cãozinho. Além da internação e dos remédios, o animal terá um longo período de adaptação pela frente. Por conta da idade, o caso é delicado. “Não podemos desistir dele”, finaliza a tutora.