Casal com Covid fica internado na mesma UTI e tem alta junto após mais de 20 dias: ‘Ela deu força pra ele’

Ângela e Leopoldo, juntos há 43 anos, ficaram internados um ao lado do outro no hospital de campanha de Itapeva (SP). “Falava pra ele: ‘fica em paz que nós dois vamos sair daqui juntos'”, conta a dona de casa.

Juntos há 43 anos e com nove filhos, Ângela Aparecida Bueno Fortes e Leopoldo de Lima Fortes sempre deram apoio um ao outro nos momentos bons e ruins. A dinâmica do casal não poderia ser diferente na pandemia de coronavírus, quando os dois foram diagnosticados com a doença e acabaram hospitalizados na mesma UTI, em Itapeva (SP).

Os filhos de Ângela e Leopoldo contaram que, no período em que o casal ficou internado, um deu força ao outro. Depois de mais de 20 dias no hospital de campanha no Ambulatório Médico de Especialidades (AME) da cidade, os dois tiveram alta juntos na última quarta-feira (9). 

“Foi uma euforia total, um sentimento de alívio. A gente ficou esse tempo muito apreensivo por não poder visitar, então foi muita emoção. Uma verdadeira festa, tanto pra nós quanto pra eles”, conta o filho Ezequiel Bueno Fortes.

Ezequiel contou que Ângela e Leopoldo, de 57 e 62 anos, começaram a apresentar os primeiros sintomas de coronavírus no início de maio e fizeram o teste para detectar a doença. Os dois tiveram resultado positivo, mas foram medicados e ficaram sete dias em casa, com sintomas leves.

Ainda segundo o filho, no dia 16, a dona de casa passou mal, com a saturação baixa, e foi levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itapeva. Ela ficou 24 horas no local aguardando a liberação de um leito e, no dia 17, foi hospitalizada diretamente na UTI do AME.

“Nós acabamos de deixá-la no AME e minha irmã disse que meu pai também não estava se sentindo bem. Percebemos que ele estava com falta de ar e achamos que era um pouco de nervosismo por minha mãe estar internada, mas à noite ele teve falta de ar bem aguda e também o levamos para a UPA”, lembra o filho.

Leopoldo também ficou algumas horas na UPA aguardando um leito de UTI e, quando foi liberada a vaga no AME de Itapeva, Ezequiel explicou aos funcionários do hospital sobre a situação dos pais.

“Disse que ambos eram os meus pais e que, no dia em que minha mãe foi internada, meu pai ficou muito fragilizado na questão psicológica. Aí sabendo que ele também precisaria ir para UTI, o pessoal teve uma empatia muito grande e colocou os dois no mesmo quarto na UTI, um do lado do outro”, conta Ezequiel.

Ângela e Leopoldo, de Itapeva, são casados há 43 anos — Foto: Ezequiel Bueno Fortes/Arquivo pessoal

‘Ela deu força pra ele’

Foi em um quarto de UTI, um ao lado do outro, que Ângela e Leopoldo permaneceram pelos próximos 20 dias. Segundo o filho, eles não precisaram ser intubados e estavam conscientes, mas precisavam utilizar uma forma de ventilação que prejudicava a comunicação entre eles.

“Meu pai não conseguia falar muito porque ficava na ventilação. A minha mãe revezava com o alto fluxo. Então, ela se comunicava, e a gente conseguia conversar por chamada de vídeo. No meio da internação, meu pai ficou bem abalado psicologicamente e cogitou até a desistir do tratamento, mas ela deu força para ele. Falava: ‘velho, aguenta aí, está doendo, mas segura que logo logo vamos sair’.”

Ângela, que sofreu cinco infartos há dois anos e atualmente aguarda uma cirurgia cardíaca, disse que reconheceu o marido pelos pés quando ele chegou para ficar ao lado dela na UTI do hospital e ficou preocupada de ver o companheiro na mesma situação que ele.

“Falaram para eu não me preocupar que estava tudo sob controle, aí eu fiquei em paz, mas eu chorava e orava para Deus. Tive que clamar por mim e por ele também”, conta.

Segundo Ângela, em um momento da internação, Leopoldo chegou a pedir para que Deus o levasse, mas deixasse a esposa, já que ela era a “âncora da casa”. No entanto, ela sempre encontrava palavras de conforto para acalmar o marido.

“Eu falava para ele: ‘fica em paz que nós dois vamos sair daqui juntos’. Eu estava com uma fé tão grande que Deus ia libertar a gente dali.”

Casal com Covid fica internado na mesma UTI e tem alta junto em Itapeva — Foto: Ezequiel Bueno Fortes/Arquivo pessoal

Alta

Aos poucos, Ângela e Leopoldo apresentaram melhora e, no último dia 7, a dona de casa recebeu alta da UTI. No dia seguinte, ela foi novamente acompanhada pelo marido, que deixou a unidade de terapia intensiva no dia 8. Os dois receberam alta do hospital na quarta-feira (9).

“Eu chorei de alegria, sabe? Agradeci meu Deus porque só ele tem poder. A gente tem fé, foi muito firme naquela hora, eu não sabia como agradecer. Queria agradecer a equipe de enfermagem também, eles choraram por nós”, declara Ângela.

Agora, o casal ainda faz uso de oxigênio dentro de casa, mas estão curados da Covid-19 e se recuperam bem, segundo o filho. No dia em que saíram do hospital, filhos, netos e genros foram até a porta da unidade para recebê-los com uma homenagem.

A professora Cláudia Aparecida Fortes Pontes, que também é filha do casal, conta que a união dos dois não poderia ter sido diferente neste momento, já que eles sempre se apoiaram em todos os momentos.

“A gente cresceu vendo tudo isso, o que eles passaram para sustentar os filhos. Ele trabalhava como lenhador, ele serrava as árvores e ela ficava junto, tirando os galhos. É um relacionamento inspirador. Já levei pra minha vida o comportamento deles, sempre lutaram juntos. Tudo o que conquistaram até hoje foi com a luta dos dois.”

Com informações do G1 Itapetininga e Região

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT