Casal estava sorrindo minutos antes de médico sofrer choque e morrer nas vésperas do casamento

Eles faziam ensaio fotográfico, quando o noivo sofreu choque ao tentar tirar anzol preso em fio elétrico. Casal se preparava para o casamento, quer seria realizado nesta sexta-feira, em Gurupi (TO).

O fotógrafo que presenciou o momento em que o médico Denis Ricardo Faria Gurgel, de 31 anos, morreu após levar um choque elétrico, na quinta-feira (29), durante um ensaio nas vésperas do casamento, relatou como o acidente aconteceu.

A última foto tirada por Teixeira mostra Denis e a noiva felizes, sorrindo e pescando em uma represa, na zona rural de Cariri do Tocantins, sul do estado. O casamento estava marcado para esta sexta-feira (30), em Gurupi. A noiva chegou a postar no Instagram um vídeo da decoração sendo colocada em um espaço de festas na cidade.

O fotógrafo contou ao G1 que Denis e a noiva, que também é médica, “estavam muito felizes”. Antes de chegar à chácara, onde o ensaio seria realizado, eles pararam para tirar fotos perto de um ipê amarelo, na beira da estrada. “A gente tinha levado as varas de pescar porque ele era fã, ele amava pescar”, relatou.

Médico morreu um dia antes do casamento, no Tocantins — Foto: Reprodução/Instagram

Pescaria e descarga elétrica

Ao chegar à chácara, o casal se sentou em um píer. Eles pegaram as varas para simular uma pescaria. “Eles sentaram, colocaram os pés dentro da água. Eu peguei a canoa para não pisar na água, fiquei a uma distância de três a quatro metros deles. Começamos a tirar as fotos. Tiramos umas 10 fotos e falei para eles: ‘Denis, para mim já deu, está bom, vamos nos deslocar para o lado e finalizar com uma foto’. Ele falou assim: ‘Teixeira, eu quero fazer a foto lançando a linha com a isca. Ele falou e já foi lançando. Como ele estava na contraluz, ele não viu o fio que levava energia para a cabana”, disse.

Segundo Teixeira, a linha ficou presa no fio elétrico e que inicialmente, o médico tentou cortá-la com os dentes e não conseguiu. O fotógrafo contou que se ofereceu para ajudar, mas que o próprio médico disse que seria perigoso por causa dos riscos de um choque. “Eu cheguei com a canoa perto, ele entrou descalço e começou a tirar a linha com a mão, mas sem triscar no fio. Já estava terminando, ele se desequilibrou e no reflexo, no impulso, para não cair, ele se apoiou no fio com a mão direita e já começou a receber a descarga elétrica”.

Foto mostra fio de energia, onde linha ficou presa, na zona rural de Cariri do Tocantins — Foto: Divulgação/Teixeira

Desespero da noiva

Nesse momento, Teixeira disse que a noiva percebeu e começou a gritar dizendo que o médico estava levando choque. O fotógrafo contou que tentou salvá-lo, mas acabou sendo atingido pela descarga elétrica e caiu dentro da água. “Ele estava em pé segurando o fio, recebendo a descarga, dentro do barco. Eu estava dentro do barco também, mas estava calçado, se eu não estivesse com sapatos, eu estaria morto. Eu dei com o remo uma, duas, três, quatro vezes, o fio não quebrava. Eu não conseguir rachar o fio. No desespero fui tentar empurrar ele, quando eu trisquei, eu recebi a descarga, que me jogou para fora do barco. Eu caí na água com câmera fotográfica, molhou tudo. Meu braço ficou um pouco duro, mas logo eu consegui voltar. Eu fui para cima dele, a Kamila falou: ‘Não vai porque você vai morrer'”, contou emocionado.

O fotógrafo e a noiva ainda gritaram para que o funcionário da fazenda desligasse a rede de energia, mas como eles estavam a uma distância de 600 metros, o homem não ouviu.

Fonte: G1
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT