Caso Samuel: laudo aponta que jogador morto por adolescentes teve 80% do corpo queimado e órgãos perfurados

Anúncio
Clique na imagem. Link direto para Whatsapp


Vítima de 18 anos foi atacada em parque de Piedade (SP) por garota com quem mantinha relacionamento e namorado dela. Os dois foram apreendidos e estão na Fundação Casa.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) aponta que o jogador de basquete Samuel Rodrigues de Carvalho Campos, de 18 anos e que foi atacado e morto por dois adolescentes em um parque de Piedade (SP), teve 80% do corpo queimado e órgãos perfurados.

A vítima foi atraída para a área no bairro do Poço por uma menina com quem ficava na tarde do dia 14 de setembro. A adolescente de 17 anos e o namorado dela, de 15 anos, foram levados à delegacia, onde confessaram o crime. A polícia acredita que o crime foi premeditado.

A perícia no corpo de Samuel afirmou que ele sofreu queimaduras de 2º e 3º grau, 12 ferimentos de faca na cabeça e 5 no corpo, além de vários outros ferimentos, como a perfuração do pulmão e do fígado.

O legista afirma no registro que o jovem foi “vítima de morte violenta em decorrência de agressão a faca”. Mesmo internado na Unidade de Terapia Intensiva em Sorocaba (SP), o jogador sofreu um choque hemorrágico.

A polícia apreendeu os celulares do casal e a perícia do Instituto de Criminalística deve apontar se houve alguma mensagem ou a existência de alguma imagem relacionada com crime premeditado. Os dois adolescentes foram encaminhados à Fundação Casa.

Relembre o crime

O adolescente afirmou no primeiro depoimento que Samuel havia “ficado” com a garota, também apreendida, e a vítima pretendia ter um relacionamento com ela.

Os três teriam combinado de se encontrarem, ainda segundo o depoimento, para que a jovem terminasse com Samuel. Como a vítima jogava basquete e era alta, o adolescente contou que levou um litro de álcool e a faca para se defender em caso de briga.

Em seguida, o menino relata que teria visto Samuel tentando beijar a garota, que “ficou sem reação, foi para cima dele com uma faca e entraram em luta corporal”. Na sequência, o esfaqueou na cabeça.

Sobre o álcool, o adolescente afirmou à polícia que jogou e acendeu o isqueiro para tentar afastar o jogador. Ainda de acordo com o registro, o jovem contou que faz tratamento contra depressão e que toma medicamentos.