Caso Susana: mulher achada morta e seminua após desaparecer tinha ferimento grave na cabeça, diz polícia

Laudo do IML vai apontar as causas da morte de Susana, que saiu para almoçar com a picape da empresa em Itapetininga (SP) e não voltou. Horas depois, veículo foi achado abandonado.

A Polícia Civil está investigando as causas da morte de Susana Dias Batista, a mulher de 47 anos que foi achada seminua e com vários hematomas no rosto nesta quinta-feira (18).

A vítima desapareceu na quarta (17) após sair para trabalhar com a picape da empresa onde trabalhava, em Itapetininga (SP). Horas depois, o veículo foi achado abandonado na Avenida Wenceslau Braz com uma das rodas danificadas e os bancos empurrados para frente.

Já o corpo de Susana foi encontrado por parentes que faziam buscas às margens da Rodovia Vereador Humberto Pellegrini (SP-268), entre Itapetininga e Alambari (SP), onde a mulher tinha sido vista pela última vez por dois ciclistas, conforme a família. Família e amigos se despediram de Susana nesta sexta-feira durante o velório e enterro. A Paróquia São João Batista ficou lotada, que teve que colocar cadeiras de plástico no salão para acomodar todas as pessoas.

Segundo a polícia, a vítima tinha um ferimento grave na parte de trás da cabeça, e o corpo dela foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Itapetininga.

O delegado disse que o exame necroscópico deve apontar o que causou o ferimento, como um tiro ou uma pedrada, por exemplo, e identificar a causa da morte dela. A vítima também tinha vários hematomas no rosto e estava usando apenas roupas íntimas.

Veja o trajeto relacionado ao crime; Susana foi encontrada morta um dia após desaparecer em Itapetininga — Foto: Arte: g1 / Fotos: reprodução e divulgação

Abordagem

A filha de Susana, Tainá Cesar, de 25 anos, contou que, assim que recebeu a notícia do desaparecimento, rastreou o celular da mãe e realizou buscas pelos locais onde ela teria passado.

“Vi que o sinal do celular da minha mãe indicou que ela passou por uma farmácia e depois por Alambari. Fui até os comércios e pedi as imagens. Consegui vídeos e descobri que minha mãe foi abordada por um homem, ainda na farmácia”, conta a jovem.

No vídeo gravado por uma das câmeras de segurança, por volta das 14h30, é possível ver a picape que Susana utilizava estacionada na Rua Padre Albuquerque, no centro de Itapetininga, e uma possível abordagem. Um homem se aproxima, olha em volta, e aparenta entrar no veículo pela porta do motorista (conforme o vídeo, a ação ficou encoberta por uma placa de publicidade).

Cerca de dez minutos depois, o veículo da empresa foi visto pela Avenida Dr Ciro Albuquerque, próximo a uma empresa de energia. Um câmera de segurança flagrou a picape passando pelo trecho às 14h49, sentido Alambari, e retornando às 15h27.

Da segunda vez que a picape passa pela avenida, aparentemente, é o suspeito quem está na direção do veículo. Neste momento, ele bate na guia e invade a calçada, quase atingindo um poste e danificando uma das rodas da picape.

Mulher que desapareceu após sair com veículo de empresa é achada morta em Itapetininga — Foto: Arquivo Pessoal – Guarda Civil/Divulgação
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP