Ciência: o que são as micro-ondas que cozinham nossos alimentos?

Essa é uma tecnologia simples, criada em um contexto de guerra. Confira mais sobre a origem do forno micro-ondas e como ele funciona atualmente.

Ao longo do tempo, as tecnologias usadas pelos humanos para facilitar procedimentos básicos em seu cotidiano sofreram profundas transformações. Na pré-história, o fogo foi uma descoberta e tanto, já que permitiu o cozimento de alimentos, a elaboração de melhores ferramentas de caça (feitas em ferro) e mais conforto térmico a partir de fogueiras.

O século XX foi marcado por grandes descobertas tecnológicas, especialmente aquelas criadas em contexto de guerra. Após os conflitos, muitas dessas tecnologias foram adaptadas e passaram a ser usadas em contextos não-bélicos.

Um exemplo disso é o forno de micro-ondas, criado durante a Segunda Guerra Mundial para detectar aeronaves inimigas. Posteriormente, essa mesma tecnologia passou a ser usada para aquecer alimentos. Confira como essa tecnologia funciona.

Origem

Era 1946 nos Estados Unidos e o engenheiro Percy Spencer trabalhava em uma empresa fabricante de aparelhos de radar. Um dia, antes de ir ao trabalho, colocou uma barra de chocolates no bolso da calça. Ao fim do expediente, percebeu que a barra havia derretido.

Ao chegar em casa, Spencer tentou utilizar essas micro-ondas na cozinha para preparar os alimentos. Essa tentativa ocorreu pois ele sabia que elas geravam calor e pressupôs que essas ondas haviam escapado do tubo de magnetron e atingido a barra de chocolate.

O teste de sua ideia ocorreu quando ele colocou um pouco de milho de pipocas na frente do tubo de magnetron e, em poucos instantes, viu as pipocas estourando. Não satisfeito, ele decidiu colocar na frente desse mesmo tubo um ovo cru em um pote com pequenos buracos.

Em poucos minutos, o ovo explodiu, o que fez Spencer concluir que ele havia cozinhado, o que aumentou a pressão no interior do pote e o estourado. O engenheiro seguiu fazendo experimentos com outros alimentos e constatando que essas ondas conseguiam cozinhá-los. Em 1952, foi criado o primeiro forno de micro-ondas.

Como funciona

O forno micro-ondas funciona da seguinte forma: em seu interior, existe uma onda eletromagnética de frequência igual a 2.450 MHz. Essa frequência é gerada por um magnetron e irradiada por um ventilador de metal — localizado na parte superior do aparelho — para dentro do forno.

Todo alimento é constituído por água. São essas moléculas que absorvem as ondas eletromagnéticas, o que aumenta o grau de agitação delas e provoca o aquecimento dos alimentos primeiramente em seu exterior e, depois, em seu interior.

Isso explica porque o forno de micro-ondas aquece os alimentos e bebidas de maneira uniforme. Você já esquentou algo nesse aparelho e sentiu que havia temperaturas diferentes em algumas partes da comida? Pois saiba que isso é comum.

É para evitar isso que esses fornos têm os pratos de vidro giratórios que ficam na base interna desse aparelho. As ondas eletromagnéticas apresentam dificuldades para penetrar em meios materiais, o que explica por que elas esquentam primeiramente as moléculas de água e gordura nas camadas mais externas dos alimentos.

Ondas eletromagnéticas

Essas ondas nascem da liberação de energia elétrica e magnética conjuntamente. Ao se movimentar com a velocidade da luz, a energia liberada adquire o formato de onda (o que a faz receber este nome). Outro fator interessante é que as ondas eletromagnéticas são transversais. Ou seja: apresenta a direção perpendicular em relação à direção da propagação.

Existem sete tipos de ondas eletromagnéticas. Além do tipo micro-ondas, existem as de rádio, infravermelho, luz visível, ultravioleta, raios x e raios gama. A classificação dessas ondas é dada pela oscilação e frequências com que elas são emitidas, além do seu comprimento. Além do forno, essas ondas também são responsáveis pelo funcionamento do rádio, da televisão e da Internet.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT