Circo tenta sobreviver realizando shows transmitidos ao vivo pela internet

Público compra ingressos por depósito bancário e recebe a acesso a grupo privado do Facebook para poder assistir ao espetáculo.

Por Mayco Geretti, G1 Sorocaba e Jundiaí

A magia do circo, mas com pipoca no sofá de casa. Usar a internet para transmitir ao vivo as apresentações está sendo a aposta que a empresária Alejandra Beatriz Areas está fazendo para manter o sustento das cinco famílias que vivem sob as tendas do circo Miller. Ele está montado em Sorocaba, mas desde 15 de março não tem apresentações ao público.

Pra quem vive do dinheiro da bilheteria, a Covid-19 teve um efeito devastador no mundo circense. Mesmo sem poder abrir ao público, Alejandra não planeja sair de Sorocaba até a pandemia reduzir seu impacto. “Hoje não conseguiríamos alvará para funcionamento em nenhuma cidade, então ficaremos aqui mesmo”, afirma.

clique na imagem e saiba mais
Webcam transmite as imagens para grupo fechado do Facebook ao qual só tem acesso quem pagou ingresso virtual — Foto: Arquivo pessoal

Luz, câmera, ação!

Jamais o circo havia tentado fazer uma transmissão pela internet. Não faz sentido, para quem tem nas risadas e reações do público o termômetro para suas apresentações. Mas com a entrada da lona baixada aos espectadores, não restou saída senão improvisar.

De arquibancadas totalmente vazias, os artistas se apresentaram pela primeira vez em 20 de março. Alejandra anunciou a novidade pelas suas redes sociais e impulsionou a publicação para tentar atingir o máximo de pessoas. No total, 150 pagaram os R$ 5 cobrados de ingresso através de depósito bancário e assistiram ao espetáculo.

“Posso te falar que foi triste. O palhaço tentando fazer rir, mas sem conseguir ouvir o riso. O malabarista tentando arrancar suspiros que não vieram da arquibancada. Foi algo novo, mas que tira o calor humano que é a recompensa do artista”, conta a empresária.

Na adaptação virtual, o espetáculo tem 1h10 de duração e só perdeu o “globo da morte” em relação ao show presencial porque Alejandra dispensou os ajudantes que montam a estrutura.

Bilheteria e venda de pipoca e outros produtos são o único sustento das cinco famílias que vivem no local — Foto: Arquivo pessoal

Recebendo alimentos

Moradores de Sorocaba se sensibilizaram com a situação das cinco famílias que vivem no circo e doaram alimentos.

“Não esperávamos, mas espontaneamente começaram a chegar pessoas e nos deram mercadorias que estão ajudando a segurar as pontas. O espírito de ajuda aflora no ser humano nesses momentos”, relata a dona do circo.

O que preocupa os artistas são as despesas fixas, como por exemplo o aluguel do terreno onde o circo está instalado — Foto: Arquivo pessoal

Próxima apresentação

O ingresso virtual para o espetáculo custa R$5. Quem deposita o dinheiro na conta do circo, recebe um link de acesso ao grupo privado onde o show será transmitido.

A próxima apresentação será feita às 19 horas do dia 28 de março. Mais informações sobre como assistir ao show podem ser obtidas na página do Facebook do circo clicando aqui.