Clima seco: Como adaptar a sua casa para não passar por esse problema?

Adaptar a casa para enfrentar melhor os tempos de clima seco e de baixa umidade do ar é algo que pode fazer bem a todos, não somente a quem sofre de doenças ligadas a isso.

Com um dia a dia agitado e nosso estilo de vida atual, é bem comum acabarmos descuidando de alguns aspectos fundamentais como alimentação, descanso e qualidade de vida. Pois saiba que o clima seco é outro problema desse tipo.

De fato, quase nunca nos lembramos de que todo ano vai haver uma temporada de clima seco ou algumas temporadas, dependendo do local em que habitamos. Mesmo que ela possa impactar, de várias formas, nossa vida e nossa produtividade.

Além da localização geográfica de nossa residência, também ocorre de alguns cômodos serem mais impactados do que outros. Assim, uma sala privativa pode ter uma dinâmica totalmente diferente se comparada com uma edícula isolada da casa.

Também assim, quando falamos que os impactos podem se dar de várias formas é porque cada pessoa costuma reagir de uma maneira diferente a um ambiente de clima seco. Por exemplo, quem tem asma, bronquite e rinite, certamente sofrerá mais.

Nesses casos, até mesmo a questão geográfica pode fazer diferença. Ou seja, algumas pessoas precisarão enfrentar o clima seco não apenas nas épocas mais frias do ano, mas também durante o verão e a primavera.

Em outros cenários, a pessoa pode ter problemas em alguns ambientes ou horários do dia, mas não em outros. Por exemplo, se trabalha com Manta asfáltica adesiva  pode não sofrer com o clima durante o dia, mas em casa, de noite, o problema pode surgir.

Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo aqui todos os principais males que o problema do clima seco pode trazer, além das diversas soluções sobre como adaptar seu lar para não precisar sofrer mais com esse problema.

Ademais, concluiremos indicando os benefícios, vantagens e impactos positivos que essas medidas podem trazer à saúde. Lembrando que, além dos problemas respiratórios e das comorbidades, o clima seco pode fazer mal a qualquer um.

A prova disso está nos seguintes sintomas mais comuns:

  • Irritação nos olhos;
  • Pele ressecada;
  • Falta de ar e desidratação;
  • Irritação na garganta;
  • Problemas cardíacos.

 

Às vezes a pessoa trabalha dentro do escritório o dia todo, com algo como projetos de retrofit arquitetura, e acaba não percebendo o surgimento discreto de alguns desses sintomas. Porém, quanto mais rápido perceber, melhor será.

Então, se você quer dominar de uma vez por todas esse assunto e já começar a adaptar sua residência e seu estilo de vida para não sofrer mais, basta seguir adiante.

O que é um clima seco?

Como vimos, o tempo seco é mais comum no inverno, já que as precipitações de chuva são menores nessa época do ano, impactando diretamente a umidade do ar (no verão, é a evaporação da água expelida pela chuva que umidifica o ar).

Porém, também vimos que pode ocorrer clima seco no verão. Portanto, é preciso entender melhor do que exatamente se trata esse fenômeno, sobretudo em termos científicos e acadêmicos, que são os mais seguros.

Ou seja, há autoridades na área que vão definir melhor os termos, assim como uma fábrica de persianas pode ser considerada uma autoridade em seu nicho. Isso é importante para não acabarmos nos aconselhando segundo opiniões ou dados infundados.

Atualmente, uma das maiores referências na área é a própria OMS, que é a Organização Mundial de Saúde. De acordo com seus estudos e orientações, a umidade do ar ideal deve ficar entre 50% e 80%, sendo que abaixo de 30% há riscos sérios à saúde.

Ou seja, o clima seco pode começar a se caracterizar nos graus que se apresentam abaixo dos 80% de umidade do ar, sendo que os recortes de 50% e 30% já são índices mais alarmantes, que pedem mais atenção.

Lembrando que precisamos levar isso em conta não apenas para adaptar nossas casas, mas também porque a baixa umidade pode agravar problemas maiores como poluição do ar, impactando a sociedade como um todo.

O poder da hidratação

Já vimos que a correria do dia a dia não pode permitir que sejamos negligentes com vários aspectos da nossa saúde, bem como da nossa qualidade de vida e produtividade pessoal.

Assim, se tem algo que pode bater de frente com o clima seco e evitar a desidratação é, justamente, saber hidratar-se no decorrer do dia. Aliás, isso traz vantagens não só para quem tem doenças respiratórias e afins, mas para todos nós.

Porém, é ainda mais importante para quem precisa lutar contra o clima seco. Para isso, o mais aconselhável é ingerir uma quantidade mínima entre 2 e 3 litros de água por dia.

Se a pessoa faz um trabalho manual, como pintura residencial sp, é aconselhável passar sempre dos 2 litros, chegando mais perto dos 3 litros. Trabalhos menos exigentes podem exigir menos, é verdade, porém o importante é não ficar abaixo disso nunca.

Um segredo é não beber muita água ao mesmo tempo, mas sim, no decorrer do dia, como dito acima. Daí a necessidade de adaptar sua casa e ter soluções assim sempre à mão. Outra dica bacana é hidratar-se também com frutas e vegetais, ou seja, sempre priorizar ao menos uma salada na refeição, e frutas após a comida e durante o dia.

Ao falar sobre alimentação, inclusive, é preciso lembrar que uma dieta balanceada também pode impactar na vida de quem já sofre com clima seco. Evitar alimentação muito salgada, por exemplo, vai melhorar a pressão arterial da pessoa.

De olho na sua respiração

Outro modo de adaptar a sua casa é prestando mais atenção na qualidade da sua respiração. Aliás, quem já sofre com os problemas mencionados geralmente costuma começar a sentir certas indisposições já com uma leve aproximação de tempos secos.

Assim, tenha em sua casa o necessário para a clássica solução do umidificador de ar. Com ele você garante que o ambiente em que você estiver vai atingir aqueles percentuais indicados pela OMS, que citamos acima.

Também assim, aquele chuveiro frio que pode ser perfeito em tempos de verão, ou para quem não tenha problemas respiratórios, aqui provavelmente precisará ser evitado.

Em casos mais exigentes, considere tratar diretamente as vias respiratórias, evitando a congestão nasal e baixando riscos piores. Esses passos pedem o acompanhamento de um médico, claro, mas podem ser feitos em casa.

Um exemplo é a inalação ou nebulização feita com soro simples (sem composição médica, o que também exigiria o acompanhamento de um profissional). Ou, ainda, a aplicação direta do soro fisiológico nas narinas, que também pode ser feita em casa.

O aspecto arquitetônico

Por fim, falar sobre adaptação da casa também inclui esforços de controle do ambiente e até da arquitetura da sua residência. Um exemplo maior é o ar-condicionado, que em caso de crises precisará ser evitado.

Em outros casos, pode ser preciso mexer ainda mais na dinâmica da corrente de vento, que é um elemento essencial da arquitetura e engenharia. Por exemplo, um exaustor telhado residencial pode alterar toda a ação do vento em uma edificação.

Já os aspectos mais simples passam por questões de limpeza e higiene, tais como:

  • Manter a casa sempre limpa;
  • Evitar aspiradores ou levantar poeira;
  • Manter os ambientes arejados;
  • Evitar cômodos mais confinados;
  • Abrir janelas para a entrada de luz solar;
  • Fazer a troca de roupas de cama e toalhas.

Sem falar, claro, nos cuidados que carpetes, tapetes e até animais exigem. Afinal, todos esses fatores podem agravar a situação de quem enfrenta problemas com clima seco.

Mais sobre os males do clima seco

Acima falamos sobre asma, bronquite e rinite, agora vamos aprofundar esse ponto e citar outros males que também podem estar relacionados com o assunto. Na verdade, o mais comum é falar sobre rinite alérgica ou bronquite crônica, que são os quadros mais desafiadores e que merecem mais atenção.

Uma dica de ouro é a questão do banho, que precisa ser mais curto e evitar água muito quente, pois mesmo que esteja frio, ela pode agravar outros problemas.

Ao mesmo tempo, porém, se puder instalar um aquecedor para torneira, faça isso, pois evitará uma água muito gelada na hora de lavar a louça. Ou seja, muitas vezes é questão de equilíbrio e bom senso.

Outros males incluem as dermatites. Além de ingestão de água, elas podem exigir medidas como hidratação da pele e até hidratantes labiais.

Os impactos positivos

Quem agradece os cuidados que trouxemos aqui é a nossa própria saúde, não apenas a do corpo, mas também a da mente. De fato, problemas respiratórios e dermatites estão entre alguns dos desafios que mais podem gerar estresse e frustração durante o dia.

Por isso, as vantagens e benefícios de lutar contra o clima seco vão repercutir na qualidade de vida e na produtividade como um todo.

Conclusão

Adaptar a casa para enfrentar melhor os tempos de clima seco e de baixa umidade do ar é algo que pode fazer bem a todos, não somente a quem sofre de doenças ligadas a isso. Com as informações, as dicas e os conselhos que trouxemos aqui, vai ser ainda mais fácil realizar esse esforço e conseguir os melhores resultados. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT