Com a confirmação de mais duas mortes, sobe para 103 o número de óbitos em decorrência da covid-19 em Araras, SP

A secretaria municipal da Saúde reforça o pedido para que a população faça o uso de máscaras de forma correta, eviteaglomerações e sempre que possível faça a higienização das mãos com álcool gel.

A Vigilância Epidemiológica de Araras (SP) confirmou nesta segunda-feira (18), mais duas mortes em decorrência da covid-19. Ao todoa cidade chega a 103 óbitos relacionados à doença desde o início da pandemia,em março de 2020.

O número de pacientes internados segue acima de 50 pessoas, sendo 34 em enfermaria e 17 em UTIs Covid, totalizando 51 internações. A secretaria municipal da Saúde reforça o pedido para que a população faça o uso de máscaras de forma correta, eviteaglomerações e sempre que possível faça a higienização das mãos com álcool gel.

Com a confirmação de mais duas mortes, sobe para 103 o número de óbitos em decorrência da covid-19 em Araras — Foto: Secom Prefeitura de Araras/Divulgação

Novos leitos

Ao todo, são 17 leitos a mais, sendo 12 de enfermaria e cinco de semi-intensivo, equipados com respiradores para dar apoio a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Com isso, o município passa a ter 22 leitos de enfermaria, cinco de UTI e cinco de semi-intensivo. Contudo, o secretário informou que um pedido para custeio de novos 10 leitos de UTI foi enviado ao Governo Federal e agora aguarda os trâmites legais.

clique na imagem e saiba mais

“Nós [também] colocamos os funcionários da saúde para trabalhar junto à Santa Casa e nos locais de urgência. É um jeito que nós encontramos para reduzir o impacto que está ocorrendo e não colapsar a mão de obra”, comentou Dr. Agnaldo Píscopo – secretário de Saúde.

Prefeitura de Araras amplia número de leitos para tratamento de Covid-19. — Foto: Secom Prefeitura de Araras/Divulgação

Preocupação

A infectologista Tamyres Butikofer Pinheiro, da Santa Casa, relata a preocupação com o crescimento dos atendimentos novamente. Segundo ela, depois do fim do ano, a procura de pessoas de todas as idades aumentou.

“Eu vi muito sofrimento. Eu já vi pacientes virem depois de passarem as datas festivas e não voltarem para casa. Eu já vi pacientes irem a aglomerações e falarem ‘nossa, me arrependi, não deveria ter reunido todo mundo, né doutora’”, disse.

Com o alerta, ela pede a colaboração da população para que continuem utilizando a máscara, passando álcool em gel, higienizando corretamente as mãos com água e sabão e mantendo o distanciamento social.

ÁGIL DPVAT