Comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar Ambiental divulga resultado da “Operação Piracema realizada em 46 cidades na região de Piracicaba, SP

Com a pesca aberta, são muitos pescadores nos rios, havendo necessidade de cuidados extremos e vigilância de várias atitudes que são crimes com as mesmas penalidades de pescar durante a piracema.

Na tarde desta quarta-feira (2), o capitão PM Ilgges, comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo, com sede na cidade de Piracicaba (SP), divulgou o resultado da “Operação Piracema”, após o encerramento do período de defeso e proteção aos peixes em todos os rios.

De acordo com a nota oficial, as ações da Polícia Militar Ambiental foram realizadas em 46 municípios (área de cobertura da 2ª Companhia), e autuou de 1º de novembro de 2021 a 28 de fevereiro de 2022, 83 pessoas, apreendeu 223 kg de pescado e aplicou R$ 56.699,00 mil em multas. Foram 228 fiscalizações de pesca, com 17 embarcações fiscalizadas, sendo 292 horas de patrulhamento náutico com 431 metros de redes de pesca apreendidas.

A fiscalização foi focada no monitoramento dos cardumes, principalmente nos pontos em que eles são mais vulneráveis, cachoeiras e corredeiras, onde a PMA instala postos fixos 24 horas durante a piracema.

“Nesse período, não se pode vacilar em nenhum momento, porque os peixes formam grandes cardumes e ficam vulneráveis, especialmente nos obstáculos como cachoeiras e corredeiras, porém, não há pescadores nos rios, a não ser os poucos criminosos, então, trata-se de uma fiscalização menos custosa”, disse o capitão Ilgges.

Com a pesca aberta, são muitos pescadores nos rios, havendo necessidade de cuidados extremos e vigilância de várias atitudes que são crimes com as mesmas penalidades de pescar durante a piracema.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP