Como movimentar a vida sexual mesmo com crianças em casa

Mornings with my real love are special for me

Especialista dá dicas para casais que não conseguem reorganizar a intimidade sexual após terem filhos.

Por Thamara Oliveira – Metrópoles

Após terem filhos, muitos casais passam a assumir integralmente o papel de pais e acabam deixando de lado partes importantes da vida conjugal, como o sexo. Além da demanda de energia e atenção que um filho exige, em casos de casais hétero ou lésbicos, existe a questão hormonal feminina que pode interferir na perda de libido.

Contudo, mesmo após este período inicial, muitas vezes a vida sexual dos casais não se torna mais fácil. Os filhos começam a andar, falar, abrir portas e ter consciência do que acontece em volta. De acordo com a psicóloga e sexóloga Carolina Freitas, a intimidade do casal deve ser reorganizada.

clique na imagem e saiba mais

“É importante retomar a vida de casal e não ficar apenas na função de pais. Nos momentos a dois, é possível expressar mais livremente a sexualidade e explorar o erotismo”, garante.

Algumas dicas são válidas para que não se perca o vínculo de intimidade, como:

  • Colocar as crianças em outro quarto que não o dos pais. Casais adeptos à cama compartilhada devem encontrar um lugar que seja da intimidade deles;
  • Trancar a porta, seja do quarto ou do banheiro, para não serem pegos de surpresa e rolar constrangimento;
  • Sair de casa para transar. Seja em um hotel ou motel, o casal se sentirá mais à vontade.
Nhec, nhec

Se sair de casa não for uma opção no momento, mesmo com as crianças em seus próprios quartos e as portas trancadas há o risco do rala e rola sair um pouco do controle e fazer barulhos, como o arrastar da cama e eventuais gemidos.

Além do mais, Camila, que também é psicopedagoga, explica que, dependendo da situação, não há como a criança encarar com naturalidade. “Se ter filhos muda a vida, a sexual também vai mudar. Temos que cuidar das nossas crianças e de sua educação, inclusive para o desenvolvimento da sexualidade delas”, alerta.

Individualidade e respeito

Outro passo importante a ser tomado é fazer com que as crianças entendam que os pais não são só dela e que têm momentos a sós. Isso pode ser feito com conversas e exemplos.

Desta forma, a criança começa a entender conceitos como respeito, privacidade, intimidade. “Se o casal se organiza para estes momentos, deixando a criança tranquila e segura na responsabilidade de um adulto de confiança (da rede de apoio), eles passam a compreender e isso não se torna um problema”, finaliza.