Como tratar a obesidade felina?

O gato é considerado obeso quando sua massa está de 15 a 30% acima do peso esperado para a raça e idade. Saiba como combater o problema.

A obesidade é um assunto muito sério, seja em humanos ou mesmo nos animais, e pode comprometer a saúde e a qualidade de vida dos indivíduos. Os hábitos que provocam a doença são variados e vão desde a falta de exercícios e alimentação até a castração.

Por isso, o ideal é escolher tipos de ração para gato de acordo com a necessidade do seu felino e apostar em uma rotina toda focada na vida saudável. Mas, antes, é preciso descobrir como é definida a obesidade felina e as formas de tratá-la.

O que pode causar a obesidade felina?

É possível identificar que 25 a 30% dos gatos, hoje, sofrem com a obesidade — um problema cada vez mais comum entre gatos adultos. As principais causas são bem semelhantes às que geram o mesmo problema nos humanos. Algumas delas podem ser:

  • Problemas na tireoide;
  • Pais com propensão à obesidade;
  • Pouca ou nenhuma atividade física;
  • Alimentação inadequada, tanto da ração quanto da quantidade de porções e número de refeições diárias;
  • Petiscos em excesso;
  • Sair de casa e comer o que encontrar pela rua.

Castração ajuda a aumentar a obesidade?

Sim, a chamada esterilização, ou castração, também pode ser um agravante para a obesidade. É um procedimento muito comum que visa evitar o aumento populacional desenfreado e também doenças relacionadas ao sistema reprodutivo.

Mas a cirurgia provoca uma intervenção direta no metabolismo, já que mexe com os hormônios. Ou seja, felinos que passam pela castração acabam se tornando duas vezes mais propensos à obesidade.

Como saber que o gato está obeso

Cada raça e idade tem um peso adequado. Apesar de não ser ideal que um gato idoso ou castrado pese mais, é compreensível que os fatores hormonais e etários alterem o metabolismo do pet, provocando um aumento de peso.

Mas é sempre importante medir esse percentual de gordura com o acompanhamento veterinário. No entanto, para se ter uma base, o bichano é considerado obeso quando a massa corporal está entre 15% e 30% a mais do que o peso esperado.

Nesses casos, o peso esperado para gatos SRDs (sem raça definida) varia entre 3 a 4 quilos para fêmeas e de 4 a 5 quilos para os machos. Os indivíduos de outras raças podem ter tendência a serem maiores e mais gordinhos, por isso o acompanhamento veterinário é tão importante.

Como evitar que o gato sofra com a obesidade

O tutor nunca deve ficar desesperado quando recebe o diagnóstico de obesidade do gato. É um problema comum e que pode ser tratado com mudanças de hábitos. Mas o ideal é tentar criar uma rotina saudável desde que o pet é filhote para que não haja grandes mudanças durante a vida do felino.

O primeiro ponto é oferecer ao felino a alimentação adequada conforme sua idade, oferecendo a quantidade certa e em porções divididas ao longo do dia. Gatos castrados, por exemplo, devem comer ração específica para felinos que passaram pela cirurgia. É um alimento completo e que vai oferecer a quantidade certa de calorias que o animal precisa. O mesmo vale para filhotes, adultos sem castração e idosos.

Outra dica interessante é montar uma rotina de exercícios. Gatos não são como cães, que amam passear, mas, em casa, é possível oferecer a eles brinquedos como varinha fishing, bolinhas e arranhadores. Assim, eles ficam distraídos, não sofrem com estresse e ainda conseguem se manter ativos.

Por fim, vale manter as consultas veterinárias sempre em dia. Além das vacinas, o médico-veterinário consegue fazer uma avaliação completa do bichano para notar se existe algum problema aparente. Isso é feito com a ajuda do tutor, que conta um pouco da rotina do animal e, junto do especialista, encontra a melhor solução no combate à obesidade.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP