Concurso PM CE: quais as etapas? Como se preparar?

A Polícia Militar do Ceará, que oferece vagas para os cargos de Soldado e Oficial, está com edital publicado. Saiba mais!

A corporação da Polícia Militar é uma das instituições de segurança pública mais conhecidas e respeitadas do país. Por esse motivo, muitos brasileiros desejam construir sua carreira nos cargos da PM do estado onde vivem. Para quem faz parte deste grupo, a boa notícia é que o Concurso Polícia Militar Ceará para Soldado já está em andamento, com edital publicado e inscrições abertas.

O processo seletivo segue as especificações dos cargos: um para a função de Soldado e outro para a de Oficial. As inscrições para o concurso para Soldado estão abertas até 15 de setembro; a prova acontece no dia 07 de novembro e a oferta é de 2000 vagas. Já o certame para Oficial definiu a banca avaliadora e estima 50 vagas, mas ainda não teve seu edital publicado.

Contudo, assim como ocorre com outros concursos públicos no país, as vagas são bastante disputadas e exigem preparação prévia. Quem deseja a aprovação deve praticar exercícios semelhantes aos cobrados na prova, dominar as etapas do processo seletivo e conhecer os pré-requisitos para o cargo.

Deseja prestar o certame e não sabe como começar a se preparar? Neste texto, te explicamos como acontecem todas as etapas do processo seletivo e o que elas exigem do candidato.

1. Prova objetiva

A primeira etapa do concurso para a Polícia Militar do Ceará é a prova objetiva. Com caráter eliminatório e classificatório, a prova  é composta por 100 questões de múltipla escolha. Elas se dividem entre 40 questões de conhecimentos básicos e 60 de conhecimentos específicos. A duração da prova é de 4 horas.

Fazem parte do grupo de Conhecimentos Básicos os assuntos de Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Noções de Administração Pública e Ética no Serviço Público e, por fim, Atualidades/História do Ceará.

Já no tópico de Conhecimentos Específicos, o candidato será questionado sobre os seguintes assuntos: Noções de Direito Constitucional e Direitos Humanos, Noções de Direito Penal, Noções de Processo Penal Militar e Direito Militar, Noções de Criminologia e Segurança Pública.

Para se preparar para a prova objetiva, o ideal é estudar a teoria dos assuntos cobrados, citados acima, e fazer questões objetivas semelhantes às apresentadas no concurso. Um bom caminho para isso é contar com o apoio de cursos preparatórios, que podem ser presenciais ou online, pois estes oferecem material teórico, listas de exercícios e provas antigas para que o candidato possa praticar.

2. Exame de saúde

Nesta segunda etapa, o candidato é avaliado conforme sua saúde geral. Ela também tem caráter eliminatório e, seguindo  a Lei Estadual Nº 13.729/06, inclui as análises de exame médico, biométrico, odontológico e toxicológico. O pagamento das despesas de realização dos exames fica a cargo do próprio candidato.

Nessa etapa, são solicitados exames como hemograma, eletrocardiograma, audiometria, laudo oftalmológico, ultrassom pélvico para participantes do sexo feminino e exame toxicológico.

Embora deva acontecer a longo prazo para surtir efeitos, a preparação para essa etapa segue, basicamente, os cuidados de saúde gerais: prática de atividades físicas, boa alimentação, boa rotina de sono e monitoramento da saúde com exames periódicos.

3. Teste de Aptidão Física

Conhecido como TAF, o teste de aptidão física possui caráter eliminatório e avalia a resistência à fadiga física do participante. Inclui flexões dinâmicas de braço na barra fixa para homens. Para mulheres, a avaliação é de flexões estáticas de braço, feitas também na barra fixa. Para ambos os sexos, ocorrem ainda o teste de flexão abdominal e o de corrida.

A preparação para essa etapa consiste na capacitação física cardiovascular e muscular, que deve ser feita seguindo os exercícios cobrados no TAF. É importante, contudo, buscar auxílio profissional durante as atividades para evitar lesões e problemas de saúde.

4. Exame psicológico

O exame psicológico avalia as competências e habilidades comportamentais do candidato, definindo-o apenas como recomendado ou não-recomendado para as atividades pertinentes ao cargo.

Uma vez que os fatores analisados são mais subjetivos, a preparação do candidato para essa etapa consiste em cuidar de sua mente, avaliando se suas condições mentais são condizentes com as atribuições do cargo. O ideal é fazer esse trabalho com auxílio profissional de um psicólogo ou psicoterapeuta.

5. Investigação social

Essa etapa é relativa à vida pregressa e atual do candidato, analisando sua conduta  individual e social. O objetivo é verificar se ele ou ela possui idoneidade moral e procedimento social compatíveis com a função de soldado. Não há preparação exata para a etapa de investigação social; o que deve ser feito é, tão somente, apresentar uma boa conduta moral ao longo da vida em todos os sentidos.

6. Curso de formação

Por fim, após aprovação em todas as etapas anteriores, o candidato participa de um curso de formação realizado na cidade de Fortaleza. Ele tem carga horária de 1020 horas/aula, exige regime de tempo integral e dedicação exclusiva, ocorrendo presencialmente. Mais: pode acontecer em dias não úteis.

O Curso de Formação Profissional, como o nome indica, ajuda a formar os próximos policiais militares e não exige preparação prévia, mas, sim, dedicação durante as aulas. Contudo, o candidato deve ter 18 anos ou mais e apresentar a CNH, com categoria no mínimo B, até o último dia de inscrição no curso.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT