Conexão familiar supera 1 milhão de mensagens trocadas e 50 mil visitas virtuais em SP

Presídios da região Oeste se destacaram no projeto, que permite envio de cartas por e-mail e videochamadas para aproximar parentes e reeduca.

Desde o final de junho, o projeto Conexão Familiar tem ajudado a minimizar a distância entre familiares e custodiados nas 176 unidades prisionais do Estado durante a pandemia do novo coronavírus. Em quase dois meses, foram mais de 1 milhão de mensagens trocadas (580.142 recebidas e 505.080 enviadas), além de 51.062 visitas virtuais realizadas nos presídios.

Dentre as seis coordenadorias existentes no Estado, a Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste (Croeste) é a que mais entregou e recebeu cartas por e-mail através do Conexão Familiar. Foram recebidas 160.204 cartas, das quais já respondidas 142.502 de modo virtual aos familiares.

clique na imagem e saiba mais

A Croeste também se destacou na realização de visitas virtuais de familiares nas 45 unidades prisionais de abrangência, onde atingiu a marca de 12.470 visitas efetuadas, ficando atrás apenas da região Central que realizou 12.551 visitas. Além disso, possibilitou 25.726 teleaudiências nestes presídios, como meio de contato entre custodiados e juízes, advogados, defensores públicos e oficiais de justiça.

Como funciona

A primeira etapa do projeto possibilitou que visitantes pudessem mandar mensagens por meio de um formulário disponível no site da Secretaria da Administração Penitenciária. Posteriormente, a resposta do parente preso retorna no e-mail da pessoa. Na segunda etapa, que começou no dia 22 de julho, foi possível ainda agendar as videochamadas por meio de um aplicativo.

O Conexão Familiar tem como meta diminuir os efeitos do isolamento com a manutenção dos laços familiares das pessoas privadas de liberdade. O Secretário da Administração Penitenciária, Coronel Nivaldo Cesar Restivo, lembra que a iniciativa é “emergencial e temporária”, em razão das restrições impostas pela pandemia de COVID-19.

“Há um esforço coletivo dos nossos funcionários para que a nova modalidade se desenvolva da melhor forma”, afirma Restivo. Ao final, serão 684 estações em todo o estado. O número é cerca de 18 vezes maior em relação a que estava disponível antes da pandemia – 39 salas dentro dos presídios.