Confira dicas para navegar com segurança e se proteger de fraudes

Especialistas orientam que internautas sempre desconfiem de propostas milagrosas e de ofertas vantajosas de qualquer tipo.

Para evitar riscos de fraudes por sites falsos, a Prodesp, empresa de Tecnologia do Estado de São Paulo, orienta que os internautas tomem cuidados importantes para se proteger. O passo inicial é identificar se o endereço que aparece no navegador (ou browser) é realmente do órgão e se ele permanece inalterado no carregamento do site.

“A extensão ‘sp.gov.br’ garante que o site é oficial do Governo do Estado e seguro”, destaca o presidente da Prodesp, André Arruda, que reforça os riscos de conceder dados sigilosos a plataformas falsas. “Os desenvolvedores dos sites e aplicativos desconhecidos podem usar informações pessoas de forma indevida, colocando a privacidade e a segurança de dados do cidadão em risco”, acrescenta.

Criptografia

Outra dica é verificar se a plataforma utiliza, para a troca de dados e informações, uma área segura baseada em criptografia (SSL de no mínimo 128 bits). Isso pode ser verificado pela presença no navegador de um cadeado fechado ou uma chave no canto inferior da tela.

Antes de utilizar sites que pedem dados pessoais com senhas, o usuário deve checar a credibilidade, confiabilidade, solidez, segurança e eficiência do portal. Além de sites, os aplicativos desconhecidos também podem usar informações pessoais de forma indevida, colocando a privacidade e a segurança de dados em risco.

Outra orientação de especialistas é de duvidar sempre de propostas milagrosas e ofertas vantajosas de qualquer tipo.

Segurança

Dona de um dos maiores data centers da América Latina, a Prodesp é responsável por armazenar com segurança as informações de mais de 50 milhões de pessoas. O banco de dados da empresa garante que os dados pessoais dos cidadãos estejam seguros.

“É possível se prevenir de algumas maneiras: sempre mantendo atualizados os dispositivos eletrônicos, aplicativos e o sistema operacional. O internauta deve utilizar um programa antivírus e em hipótese alguma instalar software pirata”, ressalta o delegado Carlos Henrique Ruiz, titular da 4ª Delegacia de Polícia de Investigações sobre Fraudes Patrimoniais Praticadas por Meios Eletrônicos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

“Outra dica é não utilizar os links de sites de busca para acessar os sites que deseja. O correto é digitar, manualmente, o endereço desejado na janela de navegação”, completa o delegado.

O delegado Carlos Henrique Ruiz aborda os procedimentos para quem foi vítima de fraude. “O usuário precisa procurar pessoalmente a delegacia de polícia mais próxima de sua residência para o registro da ocorrência. Ele também deve reunir o maior número possível de provas, como prints, documentos, comprovantes de pagamento, e levar todas elas no ato de registro da ocorrência”, finaliza.