Conheça as fases da torrefação do café

Que ele é o queridinho de muitos, não é novidade. Mas você sabe por quais fases o grão de café passa até chegar à sua mesa?

O cheirinho de café agrada à maioria dos brasileiros e é sempre uma desculpa deliciosa para sentar e conversar com alguém. Mas é muito comum que mesmo aqueles que amam o sabor do café não saibam como funciona a torra do grão. A seguir falaremos um pouco sobre esse processo.

Qual o melhor ponto de torra do café?

O grão de café que tem o ponto de torra de cor mais clara também tem o sabor mais suave. Ele é conhecido como café especial. Já o café gourmet é caracterizado pela torra média, que destaca todas as qualidades do grão. Assim, os cafés de cor mais escura terão um sabor mais intenso.

Então, o melhor ponto de torra do café vai depender de como você gosta de saborear essa bebida tão popular no mundo todo. Mas, de maneira geral, a boa torra é justamente aquela que realça o sabor, o cheiro e a acidez de cada tipo de grão. Além disso, o tempo que eles passam em cada temperatura também influencia suas características.

Quais os tipos de torra?

Os tipos de torra de café têm muita relação com o que explicamos acima, pois envolvem os sabores, do suave ao intenso. Veja:

  1. Torra clara: esse tipo de torra destaca a acidez e suaviza o sabor do café. Ela também ameniza o sabor amargo e preserva os óleos aromáticos. É ideal para aquelas máquinas de café expresso.
  2. Torra média: já na torra média há um equilíbrio entre a acidez do café e o sabor amargo. É ideal para coador de pano ou filtro de papel.
  3. Torra escura: a torra escura deixa o café menos ácido, mais amargo e menos encorpado. Ela tem sabor mais forte e pode queimar o café, destacando bastante o amargor da bebida.

 

Esses tipos de torra proporcionam a produção de cafés que agradarão a diversos paladares. A seguir, entenda como funciona essa torrefação.

Como funciona a torrefação do café?

Você já sabe que o café não é feito com a semente no estado em que é colhida, claro. O sabor e o aroma que sentimos ao beber são alcançados através da torra, ou seja, da exposição do grão a temperaturas muito altas.

As temperaturas variam entre 180° e 240°, durante um período de 7 a 15 minutos. Já o tempo em que o café fica exposto a essas tempéries depende do tipo de torra que se deseja alcançar.

Se o café ficar por muito tempo submetido a altas temperaturas, pode ficar muito escuro e, consequentemente, com o sabor muito forte e aroma não muito agradável. Por isso, mesmo que a intenção seja fazer um café mais forte, é preciso ter cuidado para não queimá-lo.

Outra informação importante é que quando a torra é finalizada, o café precisa ser exposto à temperatura ambiente o mais rápido possível, para que o processo seja interrompido.

Sobre o tempo de torra

Sete minutos: é o tempo mínimo para que um café seja considerado torrado. É este tempo que deixa o café com tom mais claro e sabor mais suave.

De nove a onze minutos: torra média.

De doze a treze minutos: torra escura, que entrega um sabor mais forte.

Quinze minutos: é considerado o tempo máximo para uma torra de qualidade. O café fica mais forte e também com um toque caramelizado, devido à liberação dos açúcares causada pelo alto aquecimento dos grãos.

Agora você já conhece as fases da torrefação do café e pode falar com mais propriedade sobre essa paixão nacional. Além disso, seja forte ou suave, café é gostoso de todo jeito, não é verdade?

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP