Contação de histórias melhora a saúde de crianças hospitalizadas

O ato de contar histórias transporta as crianças para outra realidade, distante da vivenciada no hospital, e faz com que elas se sintam mais felizes e empoderadas.

A contação de histórias reduz o estresse, provoca a queda nos índices de cortisol e aumenta a ocitocina em crianças hospitalizadas. A afirmação é de um estudo do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) e da Universidade Federal do ABC (UFABC), em parceria com a Associação Viva e Deixe Viver.

Por conta das internações nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs), muitas crianças vivem momentos muito difíceis e delicados. Quando outras pessoas contam histórias para essas crianças, elas são transportadas para uma realidade muito diferente da vivenciada no hospital e isso faz com que elas se sintam mais felizes e empoderadas. 

O estudo identificou que a leitura também provoca impactos fisiológicos e psicológicos positivos. Por conta das histórias de fantasia, as crianças experienciam sensações diferentes, longe das condições aversivas de uma internação.

Para a pesquisa, foram selecionadas 81 crianças, com idades entre 2 e 7 anos e que apresentavam condições clínicas similares e problemas respiratórios como asma, bronquite e pneumonia. Elas estavam internadas em UTI no Hospital São Luiz Jabaquara, da Rede D’Or, em São Paulo. 

A pesquisa completa foi publicada no Proceedings of the National Academy of Sciences, periódico científico da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, e foi liderada pelos pesquisadores Dr. Guilherme Brockington, da UFABC e do IDOR, e Dr. Jorge Moll Neto, do IDOR.

Para saber mais sobre os benefícios da contação de histórias para crianças hospitalizadas, acesse o site da Viva e Deixe Viver.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT