Covid-19: 57% das cidades brasileiras não exigem mais isolamento social

Levantamento da Confederação Nacional de Municípios indica que apenas 39,2% das cidades estão com atividades econômicas limitadas.

O percentual de cidades com medidas de isolamento social e serviços não essenciais fechados vem caindo a cada semana, segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM).

Em mais da metade das cidades brasileiras (57,4%), não há mais esse tipo de restrição. É o que revela o levantamento, que ouviu 1.855 gestores municipais, no período do dia 18 ao dia 21 de outubro.

Segundo a CNM, apenas 39,2% das cidades estão com atividades econômicas limitadas. É o menor percentual da série histórica que começou a ser feita semanalmente desde março deste ano.

Há dois meses, o relatório apontava que mais de 60% das cidades mantinham restrições de isolamento social. A flexibilização tem sido atrelada, na maioria dos casos, ao cenário epidemiológico de cada local.

O relatório da CNM também apontou que mais de 1.400 municípios não registraram óbitos por Covid-19 no período do levantamento. Quase 30% das cidades não tiveram novos casos da doença. Outros 23,9% dos municípios apresentaram diminuição no contágio.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, a nova etapa de flexibilização, que desobriga o uso de máscaras em ambientes abertos e sem aglomeração, está prevista para ser publicada nesta terça-feira (26), no diário oficial do município, mas a medida não terá validade imediata, como seria natural, porque precisa ser regulamentada pelo governo do Estado.

Será necessário modificar uma lei estadual em vigor, que torna o uso do equipamento obrigatório em todos os locais públicos. A tendência é que o governo do Estado regularize.

Para liberar o obrigatoriedade do uso da máscara na capital, a condição do município era atingir  65% da população com o esquema vacinal completo.

A nova etapa também prevê a reabertura de danceterias, boates, casas de shows e festas em locais fechados para pessoas com o esquema vacinal completo e com 50% da capacidade do ambiente.

Numa segunda etapa, quando a cidade atingir 75% de cariocas com o esquema vacinal completo, o uso de máscaras será necessário apenas em ambientes hospitalares e transportes públicos. Segundo a prefeitura, isso deve acontecer ainda em novembro.

No último boletim epidemiológico, divulgado na sexta-feira (22), a prefeitura do Rio informou que a cidade está no melhor cenário desde o início da pandemia.

A 42ª edição do Boletim Epidemiológico Covid-19 do Rio apresentou, pela quinta semana seguida, que a cidade está na classificação amarela para transmissão da Covid-19. Todas as 33 regiões administrativas do município estão com risco moderado. (Com informações da CNN/Brasil).

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP