Crimes seguidos contra bancos provocam insegurança em moradores de Morungaba

O ataque a uma unidade da Caixa Econômica Federal em Morungaba (SP), na madrugada desta segunda-feira (19), foi o segundo crime contra banco registrado em três meses. A violência usada pelas quadrilhas nas ações provoca insegurança na população estimada em 13 mil habitantes.

Para roubar o cofre da agência, o grupo fez ações simultâneas. Por volta das 4h, parte dos ladrões bloqueou a rodovia que dá acesso ao município após atear fogo em dois carros e um caminhão, a oito quilômetros da cidade. Um dos motoristas conta que ia ao trabalho, quando foi abordado.

“Tinha dois carros pegando fogo no meio da pista, eu diminuí um pouco a velocidade, saiu cinco, tudo encapuzado, com arma grande. Aí já tiraram meu ajudante e já veio do meu lado pedindo para eu colocar o caminhão atravessado no meio da pista”, explica o condutor Celso Oliveira.

clique na imagem e saiba mais

Enquanto isso, os demais integrantes da quadrilha já estavam em Morungaba. O primeiro alvo foi a base da Polícia Militar no Centro. Um morador, que preferiu não ser identificado, conta que dois homens chegaram ao local e dispararam contra o prédio.

“Eles ficaram armados na esquina atirando sentido base para a polícia não sair. Ficaram coagindo 15 minutos”, ressalta. Entre as armas usadas pelos ladrões estavam fuzis e espingardas calibre 12, que deixaram marcas nas janelas e paredes.

Um policial que estava no local ficou ferido após ser atingido por estilhaços de vidro.

Explosões

Ao mesmo tempo do ataque, o restante da quadrilha explodiu o cofre da unidade bancária, que também fica no Centro do município. Câmeras de segurança registraram a ação.

“O primeiro estouro não foi tão forte, mas o segundo foi, tanto que tremeu a casa inteira”, lembra o morador João Palisson. Ao todo, seis homens estavam no veículo que parou ao lado da agência.

Investigações e reabertura

O caso é apurado pela Polícia Federal e policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) também foram até a agência em busca de informações que possam resultar nas prisões dos responsáveis pelo ataque. Nenhum suspeito foi localizado até esta publicação.

Por meio de assessoria, a Caixa informou à EPTV que a agência deve ser reaberta dia 30. Até lá, a orientação da financeira é para que clientes procurem por lotéricas e unidades em outras cidades.

Primeiro caso

Em 1º de abril, uma quadrilha explodiu caixas eletrônicos em dois pontos da cidade – dentro da Prefeitura e na agência do Banco do Brasil, que ficou danificada. À época, houve troca de tiros entre o grupo e a Polícia Militar, e desde então não foram divulgadas prisões de suspeitos.

A assessoria do banco informou que não há prazo para a reabertura da agência. Os moradores podem ir ao banco postal da agências dos Correios ou buscar por unidades em outros municípios.