Criminosos passam por funcionários de bancos para aplicar ‘golpe do motoboy’

Criminosos passam por funcionários de bancos para aplicar 'golpe do motoboy'

Ações de suspeitos em Rio Claro/SP têm como alvo preferencial as pessoas idosas.

A Polícia Civil está investigando criminosos que estão se passando por funcionários de bancos para aplicar golpes em Rio Claro/SP. Neste ano, 57 casos do chamado “golpe do motoboy” foram aplicados na cidade. Até o momento, duas pessoas foram presas.

De acordo com a polícia, as investigações mostram que a escolha das vítimas não é aleatória. Os criminosos têm como alvo preferencial as pessoas idosas. Os suspeitos ligam para as vítimas e pedem o chip do cartão de crédito alegando que o cartão pode ter sido clonado. A retirada do cartão é feita por um motoboy enviado pelo golpistas.

O delegado seccional Paulo Hadich disse que essas quadrilhas se aproveitam da falta de desconfiança dos idosos. O delegado orienta que, se alguém ligar e informar que é do banco, a pessoa deve desligar imediatamente e ligar para o telefone que está no verso do cartão.

clique na imagem e saiba mais

Golpe

Uma das vítimas do golpe, que preferiu não se identificar, contou que recebeu um telefonema no trabalho. O assunto seria uma suposta clonagem do cartão de crédito dela no Estado do Paraná.

“Ele falou que em Curitiba tinha uma compra de R$ 2,8 mil no cartão. Aí ele disse que o cartão começava com o número 5 e pediu pra eu pegar o cartão pra verificar se era o mesmo, e que não era só o cartão e que também tinha um outro cartão, do Bradesco, se eu possuía esse cartão, aí eu peguei e fui ver os cartões pra verificar que de fato era mesmo”, relatou a vítima, que forneceu os dados pessoais e bancários para os criminosos.

Os golpistas disseram então que precisariam recolher os cartões bancários e para isso enviariam um motoboy até o endereço dela. “Ela pediu que eu colocasse os cartões dentro de um envelope e lacrasse o envelope certinho e que ia passar uma pessoa para poder pegar o cartão. Aí eu peguei e fiz o jeito que ela falou”, contou.

O criminoso que tentou enganar a vítima não conseguiu completar a ação porque foi preso ao tentar aplicar o golpe em outra pessoa em Rio Claro. Ao ser informado do ocorrido, ela ligou então para os bancos onde tem conta e bloqueou os cartões.