Curado da Covid-19 em Indaiatuba vai cumprir promessa pedalando até Aparecida: ‘dez dias mais difíceis da minha vida’

Rafael Barizon passou três semanas na UTI e foi submetido a quatro cirurgias.

Morador de Indaiatuba (SP), Rafael Barizon foi internado com Covid-19 em 26 de março de 2020 no Hospital Augusto Oliveira Camargo e passou três semanas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), após ser transferido para o Centro Médico, em Campinas. Após lutar pela vida, ele prometeu pedalar 260 quilômetros até Aparecida (SP) para celebrar a cura. A viagem está programada para 12 de outubro.

Em decorrência do tempo que passou intubado, Rafael precisou realizar quatro cirurgias para resolver um problema na traqueia. A última operação foi realizada em outubro do ano passado. Depois da cirurgia, ele enfrentou mais sequelas.

“Perdi um pouco do movimento do pé esquerdo, dormência 24 horas e vou ter que tomar remédio pelo resto da vida”, explica, ao relembrar que as dores que passou a sentir podem ser comparadas às causadas pelo nervo ciático, mas espalhadas pelo corpo todo.

Para Rafael, o período mais complicado da doença foram os dez dias que passou sem saber ao certo onde estava. Ele teve que tomar antidepressivos, antipsicóticos e bloqueadores musculares para controlar a agitação quando saiu da intubação. “Tiveram momentos que eu falava que não queria mais viver”, explica ele sobre a falta de ar e confusão mental que sofreu durante aqueles dias.

Lincoln Rangel, médico intensivista que cuidou do caso de Rafael, relembra que ele chegou ao hospital com a saúde já debilitada pela doença e precisou ser intubado. “A gente precisa de uma boa noticia”, celebra o médico, acrescentando que histórias como a de Rafael são necessárias para dar ânimo na luta contra o vírus.

Rafael e seu médico, Lincoln, comemorando a recuperação da doença — Foto: Reprodução/Instagram

Superação

Agora, quase seis meses depois da última operação, Rafael está se preparando para realizar o trajeto até Aparecida de bicicleta. Após confirmar que sua saúde estava recuperada, ele começou os treinos.

“Já consigo correr 14 quilômetros em uma hora e 50 minutos. É pouco para quem corre, mas muito para mim”, conta.

Ele já consegue pedalar 30 quilômetros, o que ainda está abaixo dos quase 100 que terá que fazer por dia para completar a jornada, mas está animado para atingir seu objetivo.

A data escolhida para início da viagem também não foi por acaso: o aniversário dele e da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida.

“Ele é um vitorioso, com certeza, e a gente tem que agarrar nesses pacientes”, comenta o médico sobre a importância da união entre os profissionais da saúde e seus pacientes.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT