Quatro reeducandas do Centro de Ressocialização (CR) participam de oficina de costura durante a noite para ajudar quem precisa

As grades que separam as detentas de Rio Claro (SP) da sociedade não impedem que a solidariedade ultrapassem as barreiras. Quatro reeducandas do Centro de Ressocialização (CR) confeccionam perucas para pacientes com câncer e aos portadores de alopecia, doença que provoca a queda excessiva dos cabelos. ‘É gratificante’, diz uma das voluntárias do projeto.

A oficina de costura ocorre desde agosto, às terças e quintas-feiras à noite, por meio de uma parceria com a ONG Mais Vida, que disponibiliza todo o material de costura. Três máquinas industriais foram doadas pela prefeitura.

Durante duas horas, as detentas produzem cerca de 20 mechas de cabelos. O processo é finalizado pela ONG, que deixa as perucas prontas para serem usadas. Por fim, o material é doado à Rede Rio Clarense de Combate ao Câncer e ao Grupo de Apoio à Crianças com Câncer (GAAC). Fora do CR, a ONG Mais Vida também

Origem da oficina

A ONG Mais Vida batizou a oficina de Lara Sales da Costa. O bebê nasceu com problemas de saúde e precisou passar por um transplante de medula óssea, doada pelo próprio pai. A recém-nascida lutou pela vida até 1 ano e 9 meses, quando tudo parecia ir bem, a criança teve uma infecção e morreu. Hoje a mãe de Lara participa do grupo como forma de homenagear a filha e ajudar as pessoas que precisam.

+ CLIQUE AQUI E VEJA OUTRAS NOTÍCIAS