Ele segue afastado da Basílica Santo Antônio de Pádua.

A Diocese de Limeira (SP) informou nesta sexta-feira (15) que encerrou a investigação que apura denúncias de abuso sexual contra o padre Pedro Leandro Ricardo, afastado desde janeiro das funções reitor e pároco da Basílica Santo Antônio de Pádua. O próximo passo é enviar o relatório com as conclusões ao Vaticano, nas próximas semanas.

“Com relação às oitivas referentes a apuração interna da Diocese de Limeira, todos os depoentes já foram ouvidos, inclusive o padre Pedro Leandro Ricardo. Todo o processo foi conduzido por dois padres Canonistas e segue, em sigilo, sob orientação canônica. O processo será enviado nas próximas semanas ao Vaticano”, diz nota da Diocese.

Na última quinta-feira (14), três homens e uma mulher foram ouvidos pela Diocese de Limeira. O conteúdo dos depoimentos não foi divulgado, mas a advogada que representa 15 testemunhas contra o padre Pedro Leandro Ricardo afirma que a maioria relata abuso sexual.

Segundo a advogada Talitha Camargo da Fonseca, as vítimas que representa atuaram como coroinha e tinham plena confiança no padre. Elas falam sobre os supostos abusos pela primeira vez.

“Muitas dessas vítimas nunca contaram para os pais o que aconteceu, nunca contaram para as esposas o que aconteceu, e estão contando agora, na Justiça comum e na justiça canônica”, diz.

O advogado do padre Pedro Leandro Ricardo informou na quinta (14) que não acompanha o processo canônico e, por isso, não tem o que comentar.

Investigações

Além da investigação da Diocese, o padre Pedro Leandro Ricardo é alvo de inquéritos nas cidades de Americana (SP), Limeira (SP) e Araras (SP), mas o caso corre em segredo de Justiça.

Em fevereiro, um representante do Vaticano esteve no Brasil e ouviu membros da igreja e fieis para apurar as denúncias contra o padre Pedro Leandro Ricardo e se o bispo, Dom Vilson Dias de Oliveira, acobertou os casos. O bispo ainda é investigado numa denúncia de corrupção, onde teria extorquido padres da região.